quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Peru oferece cão Pelado para família de Obama


O  cão pelado peruano foi oferecido às filhas de Obama

Mariana Bazo

Obama pede um animal que não provoque alergia em sua filha Maisa. Cão pelado peruano é perfeito para crianças sensíveis a outros cães.

Uma raça de cães pelados e quase sempre banguelas, mas que é motivo de orgulho no Peru por causa de sua popularidade entre os reis incas, pode ir parar na Casa Branca, onde a futura família moradora procura um novo mascote.

O presidente-eleito dos EUA, Barack Obama, prometeu um cachorro para as filhas Malia, 10 anos, e Sasha, 7, levarem para a Casa Branca. Mas Obama disse nesta segunda-feira que o animal escolhido precisa ser de uma raça que não provoque alergia em sua filha Malia, que é especialmente sensível a isso.

Donos do cão pelado peruano, uma raça retratada há 3.000 anos em cerâmicas pré-hispânicas, dizem que ele é perfeito para crianças sensíveis a outros cães.

"Eles não causam nenhum tipo de alergia e são muito amistosos e carinhosos", disse Claudia Galvez, 38 anos, diretora da Associação Amigos do Cão Pelado Peruano.

"Queremos dar um filhote macho às filhas de Obama, para que elas experimentem toda a alegria de ter um cachorro, mas sem alergia", disse ela, que nesta segunda-feira entregou à embaixada dos EUA em Lima uma carta com a oferta.

Os peruanos afirmam que o cão pelado tem uma temperatura corporal acima da média, o que compensa a falta de pêlos - o que por sua vez evita doenças como a asma e a bronquite alérgica.

Galvez já selecionou um filhote de 4 meses para ser eventualmente enviado à família Obama. Por enquanto, a chama de "Orelhas" (que são grandes e empinadas).

"Mas se o mandarmos para os Estados Unidos seu nome oficial será Machu Picchu", disse ela, referindo-se à antiga cidadela inca, maior atração turística do país. [Fonte: http://portal.rpc.com.br]


Há mais de 4000 anos que o cão "Pelado Peruano", vive no Peru. É conhecido na Europa como "Inca Orchid Dog Moon Flower", denominação antiga que esta em desuso. Está registrado na Federação Cinológica Internacional (FCI) sob número 310.

Este cão cumpriu um importante papel dentro dos costumes e mitos dos incas, tendo sido inclusive utilizado para fins medicinais. Basta um leve contato com ele e tem-se a sensação de se estar tocando uma bolsa de água quente. Esta estranha característica o fez protagonista de muitas histórias, curas milagrosas e estranhos poderes, relatados nas distintas culturas pré-incas especialmente Mochica, Chancay, Chimú e Vicus (Sechura-Piura).

Esta raça não costuma ser atingida por pulgas, assim como carrapatos. A cor pode ser negro, cinza, cobre e outros. Todas essas cores podem ser uniformes ou com manchas rosadas em qualquer parte do corpo, dependendo se o exemplar tem ou não a pele de cor uniforme. A pigmentação muda de acordo com o lugar onde o animal se encontra. Sua alimentação é normal como a de qualquer outro cão (alimentação balanceada), não exigindo cuidados especiais.

Quanto a sua higiene, deve-se ter maior cuidado para que não ocorra ressecamento da sua pele. Não se deve dar banhos seguidos, sendo indicado o uso de sabão neutro e aplicação de óleo hidratante para bebês. 


A pelagem praticamente não existe, por ser uma raça desnuda, mas admite-se vestígios de pêlos sobre a cabeça, extremidades, ponta da cauda e por vezes pêlos bem ralos sobre o dorso. Outra particularidade é que a sua dentadura quase sempre é incompleta. Possui o sentido auditivo muito desenvolvido. Sua sensibilidade auditiva é elevada devido à conformação externa de suas orelhas, que tem forma de parabólica e uma cartilagem fina.

Em linhas gerais estes cães são animais esbeltos, elegantes, denotando velocidade, força e harmonia sem deixar de ser musculosos. Podemos afirmar que o caráter destes desnudos é nobre, afetuoso com os de sua casa, reservado e desconfiado com estranhos, estando sempre atentos, sendo muito bons guardiões.
[do site: /www.kennelclub.com.br]



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar