sábado, 27 de dezembro de 2008

Dez curiosidades que informam e divertem os fãs do mundo animal.

Quando criança, o biólogo Guilherme Domenichelli, 37, andava para cima e para baixo com um binóculo, uma lupa e um caderninho. Era nele que anotava curiosidades sobre o mundo animal.

Guilherme cresceu, formou-se em biologia e trabalha em um paraíso para os amantes da fauna: o zoológico de São Paulo.

É lá que recebe crianças apaixonadas pela natureza, como ele foi, sempre com suas perguntas desconcertantes.

"Algumas são freqüentes. Outras tão diferentes que confundem até profissionais", diz.

Foi aí que surgiu a idéia. Guilherme uniu os conhecimentos do bloco de anotações da infância com as novas dúvidas e escreveu o livro "Girafa Tem Torcicolo?" (ed. Panda Books, 44 págs., R$ 24,90), em que dá respostas a crianças e adultos.

A Revista da Folha selecionou dez curiosidades que informam e divertem os fãs do mundo animal.



1. Diferentemente das dos outros felinos, as unhas do guepardo não são retráteis, ficando expostas constantemente. Isso ajuda a não derrapar nas curvas no momento da caça, funcionando como as travas das chuteiras dos jogadores de futebol.

2. Urubus, abutres e condores possuem suco gástrico muito forte. Tanta acidez mata bactérias transmissoras de doenças. Por isso, podem comer carne podre. Como enfiam a cabeça em carcaças sujas de sangue, eles não têm penas na cabeça ou no pescoço para evitar contaminação.

3. O urso-polar se acasala na primavera e hiberna no inverno. Uma ursa grávida permanece até cinco meses hibernando. Se o filhote nasce neste período, é amamentado pela sonolenta mamãe. Durante a hibernação, eles quase não fazem xixi ou cocô. Quando acontece, a mãe come os excrementos e mantém a toca limpa.

4. O papel das leoas é caçar e cuidar dos filhotes. A cada ninhada, nascem, em média, três bebês totalmente dependentes. Para a tarefa, elas usam bem a língua, que, nos felinos, mais parece uma lixa. As leoas lambem os filhotes para limpá-los. É o famoso banho de gato.

5. Diz a lenda que os crocodilos choram de arrependimento ao devorar sua presa. Por isso, o ditado "lágrimas de crocodilo". Na verdade, as lágrimas não são nada emocionais. É que, ao mastigar, as glândulas lacrimais são pressionadas.

6. Por viverem em regiões desérticas, onde acontecem regularmente tempestades de areia, os avestruzes desenvolveram uma proteção nos olhos chamada membrana nictante. É uma pálpebra transparente que protege os olhos da areia, mas permite que enxerguem, como se fossem óculos de natação.

7. Ao nascer, os filhotes de gansos reconhecem como mãe o primeiro ser vivo que vêem pela frente. É relativamente comum gansinhos nascidos em cativeiro, longe dos pais, adotarem galinhas, cachorros, gatos e até pessoas como mães-postiças.

8. Os primeiros conquistadores ingleses que chegaram à Austrália viram alguns animais diferentes que saltavam para se locomover. Perguntaram que bicho era aquele. A resposta: "Canguru". Mais tarde, descobriu-se que, na língua nativa, a palavra significa "Não entendi o que você perguntou".

9. Quando babuínos do mesmo bando se encontram, eles se cumprimentam segurando o pênis um do outro. Isso equivale a um "olá", um "bom dia".

10. Girafas saudáveis nunca deitam o pescoço. Dormem em pé ou encostadas em árvores. Se não há predadores, elas dobram as pernas, mas mantêm o pescoço esticado e a cabeça no alto. Elas não deitam nem quando dão à luz. Nessa hora, o bebê cai de uma altura de dois metros! Quanto ao título do livro, com aquele pescoção, a girafa pode, sim, ter torcicolo.

por Folha Online

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar