sexta-feira, 17 de abril de 2009

O sexo gay no mundo animal


O comportamento homossexual não é exclusivo de seres humanos. Vários casos já foram documentados em que animais procuravam parceiros do mesmo sexo para acasalar. Foram observados casos explícitos de comportamento homossexual na natureza – não só o ato sexual – mas animais fazendo a corte a outros, andando sempre em pares e demonstrando afeição.

As motivações para esse comportamento, tanto nos bichos quanto nos seres humanos, ainda não foram inteiramente explicados pela ciência. O que se sabe é que a relação homossexual nos animais é diferente do que nos humanos.
Humanos buscam sexo por prazer e a maioria dos animais não, eles tem motivos estritamente reprodutivos. Os cachorros, por exemplo, só fazem sexo quando a cadela está no cio. Ela libera hormônios e ferômonios que sinalizam que está em um período fértil.
Mas então porque cachorros machos, frequentemente, foram observados copulando ou tentando copular?
De acordo com especialistas, eles são motivados por cheiros e hormônios que os fazem agir assim. Já foram feitas pesquisas com cadelas que, depois de receberem uma dose de hormônio masculino, procuraram outras cadelas, mesmo com nenhuma estando no cio.
Um dos casos mais conhecidos de homossexualidade em animais é o dos pingüins do Central Park Zôo, em Nova York. Roy e Silo, dois pingüins machos, copularam. Depois, foram presenteados pelo pessoal do zoológico com um ovo. Para que o ovo se tornasse um pequeno pingüim, eles precisavam chocá-lo e tomar conta dele. O que realmente aconteceu. O casal gay do zoológico tem seu filhote e cuida muito bem dele.
Isso, para os cientistas, foi mais uma prova de que o homossexualismo animal tem raízes diferentes do homossexualismo humano. Os pingüins receberam o ovo com naturalidade e não o rejeitaram porque, para eles, era natural que depois da cópula eles recebessem um ovo – era esse o propósito de copular.
Conheça outros animais que apresentaram comportamento homossexual:
  • Gaivotas – sabe-se que mais de 15% da população feminina de gaivotas é lésbica.
  • Cisnes negros – casais machos já foram observados roubando o ninho e os filhotes de outros cisnes. Também podem se associar a uma fêmea apenas para obter o ovo.
  • Boto cor-de-rosa – foram reportados casos de enormes “orgias”. Grandes grupos se “esfregavam” um nos outros, sem importar o sexo.
  • Bonobo – o bonobo é um primata cuja sociedade é matrifocal, focada na fêmea mais forte, e não no macho, como é comum entre espécies similares. Na sociedade do bonobo, o bissexualismo é comum e estes animais fazem, como os humanos, sexo por prazer.
Outros animais conhecidos por já terem apresentado comportamento homossexual são: elefantes, girafas, leões, hienas e ovelhas. A lista inclui até mesmo animais improváveis, como libélulas e moscas-da-fruta.
Confira a lista completa:  [Wikipédia]


Lions gay. A homossexualidade é uma característica comum entre Os leões.









Comportamento gay é encontrado em quase todo o reino animal

Uma nova revisão de pesquisas já existentes afirma que o comportamento homossexual é um fenômeno muito comum em várias espécies, desde minhocas, sapos até aves. “É óbvio agora que o comportamento homossexual se estende a vários outros além dos exemplos que conhecemos, como bonobos, golfinhos, pingüins e moscas da fruta”, afirma Nathan Baliey, pesquisador do Departamento de Biologia da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos.

O estudo, entretanto, afirma que o comportamento não é igual em todas as espécies, e que pesquisadores podem estar chamando fenômenos diferentes pelo mesmo nome. “Por exemplo, as moscar frugíveras podem cortejar outros machos porque não têm o gene que permite que eles percebam a diferença entre os sexos”, afirma Bailey. “Mas isso é diferente do caso dos golfinhos, que têm relações entre o mesmo sexo para facilitar a união do grupo, ou de albatrozes fêmeas, que podem permanecer com o mesmo par durante toda a vida”, explica.

De acordo com o estudo, pesquisas existentes sobre o assunto se preocupam em analisar as origens, e não as consequências do comportamento. Uma força seletiva – stress colocado sobre uma população, por exemplo, pode afetar a reprodução na população analisada. De acordo com Bailey, é normal pensar nessas forças como o clima, temperatura ou características físicas do tipo, mas também é possível considerar circunstâncias sociais como forças seletivas. “O comportamento homossexual muda radicalmente as circunstâncias sociais, por remover alguns animais da disponibilidade para o acasalamento”, afirma o pesquisador.

“Como qualquer comportamento que não leva à reprodução – como a agressão ou o altruísmo -, o comportamento homossexual tem consequências que começam a ser consideradas só agora”, diz. “Quão importante é a genética na expressão desse comportamento, comparada com o ambiente?”, questiona Bailey. “Saber isso ajudaria a entender como isso evolui e afeta a evolução de outras características. Também poderia ajudar a entender se é algo que afeta indivíduos ou todos de uma espécie, mas que só alguns expressam”, afirma. [Science Daily]













Um comentário:

  1. pinguim, ursos,leão, aves e outros, são gays, homossexuais ou copulam com o mesmo sexo por falta de parceiro ou e para preserva a pereza da especie

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar