terça-feira, 21 de julho de 2009

Filhote de baleia Jubarte morre após encalhar na praia de Itaparica

foto: Melina Mantovani / GOL

Um filhote de baleia Jubarte encalhou, na madrugada desta terça-feira (21), na praia de Itaparica, em Vila Velha. O filhote chegou vivo à praia por volta de 4h30, segundo pescadores da região, mas morreu. Eles afirmaram que a baleia se debatia na areia, tentando voltar para o mar. O filhote tem 4,2m de comprimento, pesa cerca de duas toneladas e pode ter até um ano de idade.

Os pescadores disseram ainda que a maré estava cheia quando o filhote foi encontrado, o que poderia ter trazido a baleia para a costa. O animal estava fraco e não pode ser salvo, apesar de os pescadores terem tentado levá-la para o mar novamente.

A baleia encalhada atraiu a atenção de moradores que passavam pela orla na manhã desta terça. Muitas pessoas pararam para observar de perto o animal e tirar fotos.

Remoção

O filhote de baleia foi retirado da praia por volta de 11h, já que a multidão atrapalhava os trabalhos da equipe do Instituto Orca, que analisavam o animal. O filhote foi retirado com o auxílio de uma retroescavadeira e levado para uma região mais isolada da praia de Itaparica para que fossem recolhidas amostras de material para análise.

O diretor do Instituto Orca, Lupércio Barbosa, aponta alguns motivos que teriam levado o animal à praia. "A gente pode pensar em separação da mãe. Ou a mãe não foi cuidadosa o suficiente e ele se afastou ou ele pode ter sido impactado por uma atividade de ruído excessivo. Pode ter sido também um acidente com rede de pesca. De causa natural não é tão frequente com filhotes", diz.

O animal foi enterrado em um terreno particular próximo à Reserva Ecológica de Jacarenema, em Vila Velha. O local será monitorado para que, posteriormente, os ossos sejam usados para fins educativos. Por conta da falta de um local com laboratório e equipamentos específicos, a carcaça do animal não pode ser conservada para a realização de mais exames e análises, como ressaltou o diretor do Instituto Orca, Lupércio Barbosa. "Poderíamos ter feito até uma reprodução do filhote em fibra de vidro, mas não temos apoio financeiro para isso. Não tivemos condições nem de fazer a necrópsia", conta.

Essa é a terceira vez que um filhote de baleia Jubart é encontrado encalhado em praias capixabas, mas a primeira neste região. As outras ocasiões aconteceram nas praias da região norte do Espírito Santo.

21/07/2009 - (Melina Mantovani - gazeta online)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar