domingo, 25 de outubro de 2009

Dez raças de cães que se adaptam melhor em apartamentos



foto: Reprodução
Algumas raças de cães se adaptam com mais facilidade a espaços pequenos
Algumas raças de cães se adaptam com mais facilidade a espaços pequenos

O excesso de barulho é o campeão de reclamações em condomínios, segundo o Sindicato dos Condomínios e Edifícios de São Paulo e Região. Donos de cães são os principais alvos.

Quem mora em aparamento e tem ou quer ter cachorros, deve ficar atento para não entrar nesta estatística.

A pedido do G1, o Kennel Club Brasil elaborou uma lista com as raças que se adaptam melhor dentro de apartamentos.
Segundo a diretora técnica do Kennel Club Brasil, Maria Lucia Rodrigues Pereira, os cães que têm menos problemas para se adaptar em espaços menores são os de pequeno porte. "Os grandes sofrem muito, principalmente se já moraram em lugares maiores. Eles podem ficar muito estressados e precisam passear de seis a sete vezes por dia", disse.
Maria Lucia indicou 10 raças que acredita serem as mais adequadas para apartamentos. Ela explica que, além de serem pequenos, podem ficar com a tosa curta e não têm o hábito de latir.

Confira o padrão que a Confederação Brasileira de Cinofilia (CBKC) estabeleceu para cada raça indicada.

ulldog Francês



Características



Temperamento


(Foto: Marlos Azevedo/Canil Vale
do Aço)


Os Bulldogs são cães de companhia.
O país de origem da raça é a França.
O peso pode variar de 8 kg a 14 kg .

A raça é ativa e inteligente .
São particularmente afetuosos com seus donos
e com crianças.
Seu aspecto é muito musculoso, com estrutura

compacta.


Chihuahua



Características



Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Lucesar)


O Chihuauhua é de de origem mexicana.
Também são cães de companhia.
O peso da raça varia entre 1,5 kg e 3 kg.

São muito corajosos, rápidos, alertas e
cheios de vida.
Podem ter o pelo liso e curto ou longo e ondulado.

Jack Russell Terrier


Características



Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Nelson Mandela)


Têm habilidade para caça, mas são muito
utilizados como cães de companhia.
Têm origem na Inglaterra.
Variam de 25 cm a 30 cm. Podem pesar até 6 kg.

São alegres, ativos e cheios de vida.
Corajosos, amigáveis e de confiança.


Lhasa Apso



Características



Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Christal Kramer)


O país de origem dos Lhasa Apso é o Tibet.
São cães de companhia.
A estatura da raça varia entre 25,4 cm para
os machos e um pouco menos para as fêmeas.

A raça é alegre e segura de si. Alerta e estável.
São desconfiados com estranhos.


Pastor de Shetland



Características



Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Dog World)


São cães de pastoreio, com origem na Grã-Bretanha.
Os machos chegam a 37 cm e as fêmeas, um
pouco menores, a 35,5 cm.

Alertas, meigos e inteligentes. Têm
temperamento afetuoso.
São muito receptivos com o dono, mas mais
reservados com estranhos. Não são nervosos.


Poodle Toy



Características


Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Mordoff)


De origem francesa.
O tamanho dos Poodles Toys é acima de 24 cm e
vai até 28 cm.
Têm pelagem encaracolada.
De aspecto inteligente, estão constantemente
em alerta.
Dão impressão de elegância.

Reconhecidos pela fidelidade ao dono, são
fáceis de ser treinados.
São ótimos cães de companhia.


Shih Tzu



Características



Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Christal Kramer)


Cães de companhia, com origem no Tibet.
Ficam com cerca de 26 cm e o peso ideal varia
entre 4,5 kg e 7,3 kg.
Têm pelo longo e liso.

A veterinária Junia Menezes, da UFMG, destaca
que esta é uma raça independente.
Também são inteligentes e carinhosos.

Spitz



Características


Temperamento


(Foto: Nicoli Presotti/Canil Blue Point)


Pode ser de origem alemã ou japonesa.
São cães de companhia.
Podem apresentar várias estaturas.
Os tamanhos menores são o Spitz Anão, que
chega a 20 cm, e o Pequeno, que chega a 26 cm.
Enquanto o Spitz alemão pode aparecer em
cores mescladas, o japonês será sempre
branco. A estatura dele varia de 30 cm a 38 cm.

É uma raça que está sempre atenta e é
devotada ao dono.
É dócil e fácil de ser treinado. São bons
cães de guarda. São robustos.
Longevidade é um dos atributos mais importantes.


West Highland Terrier



Características



Temperamento


(Foto: Divulgação/Canil Blanc dAurillac)


Os West Highlands são raças de caça e de
companhia.


São pequenos.


Na fase adulta,
chegam a 28 cm.
O
branco é a única cor da raça.


São originários da Grã-Bretanha.

São ativos e repletos de energia.
Possuem ar maroto.
O temperamento é vivaz, alegre e corajoso.
A raça é independente, mas afetuosa.


Yorkshire Terrier



Características


Temperamento


(Foto: Nicoli Presotti/Canil Blue Point)

São cães de companhia, de origem na Grã-Bretanha.


Pode pesar pouco mais
de 3 kg.

Segundo a CBKC, a raça possui ?porte
empinado, mas são companheiros, alertas e
inteligentes.


Cheio de vivacidade.


Saúde

"Para garantir a saúde do cão é necessário ter em dia a vacinação, o uso do vermífugo e a boa alimentação", afirmou o Ailton Blois, veterinário do Kennel Clube Paulista. Além dos três pontos, o veterinário também recomenda que os donos de raças de pequeno porte fiquem atentos ao manuseio dos cães. "Eles sofrem fraturas com mais freqüência que os grandes", disse o veterinário.

Mesmo os cães pequenos precisam passear. A recomendação do veterinário Ailton Blois é que o dono saia com o cachorro duas vezes por dia, pela manhã e à noite. "Ficando muito tempo dentro de casa eles podem ficar estressados e ter alguma doença por conta disso. O problema mais comum é o de pele", disse.

Ainda segundo Blois, cães estressados costumam fazer ?desaforos?, como fazer as necessidades fora do lugar.

A veterinária Junia Menezes, da Universidade Federal de Minas Gerais, reforça que cachorros de grande e médio porte têm tendência a apresentar problemas locomotores em decorrência da falta de espaço e dos pisos lisos do apartamento.

Latido

O problema com o latido não pode ser resolvido, mas pode ser minimizado com alguns cuidados. "Geralmente os cães não gostam de ficar sozinhos. Algumas raças são mais independentes, mas as que não são, ao se verem sozinhos, latem ainda mais", afirmou a veterinária Junia.

Uma solução sugerida pelo veterinário Blois é sempre deixar algum brinquedo para distrair o cachorro. "Se o cachorro tiver que ficar sozinho, o dono deve pelo menos deixar brinquedos. Isso distrai o cão por algum tempo, mas a educação dele também conta", disse.

Escolhendo seu cão

Depois de escolher a raça, a veterinária Junia Menezes recomenda outras atenções. "Se os donos não pretendem cruzar o cachorro quando ele chegar na fase adulta, o melhor é castrá-lo. Isso evita doenças e surpresas, como uma possível cria", afirmou.

Ela também afirmou que as fêmeas se adaptam melhor em lugares pequenos. "Como o macho tem a necessidade de marcar território, é mais provável que eles façam as necessidades no pé dos móveis ou em outros lugares indesejáveis."



25/10/2009 -  ( - G1)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar