quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Após 54 anos, zoo descobre que tartaruga gigante não é fêmea, mas macho


Após descoberta, zoo decidiu mudar o nome da tartaruga para 'Terry'.
Réptil de 180 quilos chegou ao zoológico de Cleveland, em Ohio, em 1955.
Depois de mais de 50 anos, os veterinários de um zoológico em Cleveland, no estado do Ohio (EUA), descobriram que uma tartaruga gigante do zoo chamada "Mary" não é uma fêmea, mas um macho, segundo o jornal "Cleveland Plain Dealer".


Foto: Divulgação

Por mais de 50 anos, veterinários pensaram que tartaruga gigante de zoo em Cleveland era uma fêmea, quando, na verdade, é um macho. (Foto: Divulgação)

Os funcionários do "Cleveland Metroparks Zoo" disseram que é difícil determinar o sexo de uma tartaruga gigante de Aldabra, porque normalmente os órgãos reprodutivos do animal não são visíveis.


A descoberta de que "Mary" é um macho foi revelada no início deste mês durante um exame de rotina. O porta-voz Tom O'Konowitz disse nesta quara-feira que o zoológico decidiu mudar o nome da tartaruga para "Terry".


Quando o réptil de 180 quilos chegou ao zoológico em 1955, acreditava-se que era uma fêmea por causa do casco mais plano e cauda mais curta na comparação com outros machos da espécie.


Do G1, em São Paulo, com agências

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar