sábado, 25 de setembro de 2010

Animais estão mais obesos e com doenças de gente

As facilidades da vida moderna e o consumo excessivo de alimentos não saudáveis têm afetado não só a vida das pessoas como também a dos seus bichinhos de estimação. Mais gordinhos e doentes, cães e gatos podem viver até 15% menos que os que se alimentam corretamente e fazem exercícios físicos, afirmam veterinários.

Eles podem até ser os melhores amigos do homem, mas cuidar dos animais como se fossem gente não é nada aconselhável, explica o veterinário Ricardo Souza Vasconcellos, especialista em nutrição de cães e gatos. "Se o dono não sai de casa e leva uma vida sedentária, dificilmente o cachorro vai sair também. Se o dono come demais, pode achar que o seu animal também deve comer mais. Isso é errado. Cada um tem hábitos específicos, que precisam ser respeitados", diz.

Por isso, prestar atenção ao que o seu animal come nunca é demais. A veterinária Marcelle Bravim diz que a má alimentação é o principal fator desencadeador da obesidade, que pode provocar doenças graves, como diabetes, problemas no coração, colesterol alto e até doenças articulares, como artrite.

"O animal de pequeno porte, ao contrário do que o homem pensa, não necessita comer mais do que uma ou duas vezes por dia. Fazer exercícios, como caminhadas, é importante, mas mais difícil de se conseguir. É por isso que cuidar da alimentação é tão importante", explica.

Se levar o cãozinho para dar uma volta no quarteirão parece muito difícil, experimente estimulá-lo a brincar dentro de casa por cerca de 20 minutos por dia ou troque os brinquedos dele de lugar, para que ele possa procurá-los pela casa, indicam os veterinários. Afinal, quanto mais velho o animal fica, mais difícil será ensiná-lo a se exercitar.

"Hoje, vivemos em apartamentos, quase não praticamos exercícios físicos e temos animais castrados. Essa realidade é um prato cheio para o desenvolvimento de doenças graves nos bichinhos. Mas, com um pouco de boa vontade e cuidado, isso pode ser evitado", diz.

A cadela Amora está acima do peso e faz tratamento>

Excesso de peso, diabetes e inflamação no útero. Aos 15 anos de idade, a fox paulisitinha Amora precisa de cuidados especiais. Afinal, nessa idade, não é fácil estimulá-la a fazer uma atividade física e, ainda por cima, cuidar da alimentação, explica a dona da cadelinha, a aposentada Maristela Freitas. "Depois que o macho morreu, há cinco anos, ela parou de brincar e correr pelo quintal como fazia antes. Isso acabou provocando a diabetes, que hoje está sob controle, mas sempre requer cuidados", explica. Amora está cerca de três quilos acima do peso, mas a dona a leva para passear quase todos os dias e só dá ração para cães na "3ª idade". "Cuido com muito carinho, porque sei como é importante para ela", diz.



Obesidade em cães e gatos


Causas
Comportamento.
Em geral, o animal acaba seguindo o comportamento das pessoas a sua volta. Se o dono não pratica exercícios físicos ou come demais, tende a reproduzir isso no seu bicho de estimação. Nos Estados Unidos, estima-se que cerca de 50% dos animais cujos donos são obesos também estão acima do peso

Humanização. O que os veterinários chamam de humanização é o hábito que os donos têm de alimentar os animais com aquilo que eles próprios comem. Pedaços de pão, de carne e restos de comida são petiscos impróprios para os bichinhos

Castração.
Animais castrados tendem a engordar mais, porque cessa a produção de hormônios, responsáveis, entre outras coisas, por controlar o metabolismo
e a alimentação

Consequências
Doenças.
As principais doenças provocadas pela obesidade animal são: diabetes, doenças articulares (artrite) e de pele. Também há incidência de câncer de mama em cadelas com sobrepeso

Sedentarismo.
Quanto mais acima do peso, menos exercícios o animal tende
a fazer e mais problemas podem surgir

Identifique
Para saber se o seu animal está no peso ideal, olhe-o por cima e verifique se o abdome é mais estreito que o tórax, formando uma "cinturinha"

Cuidados
Petisco.
Eles podem ser dados, mas apenas os próprios para os animais. Existem no mercado biscoitos e diversos outros petiscos para cães e gatos

Ração.
Nunca deixe de dar, mas sempre na quantidade indicada para a raça e a idade do seu animal

Exercício.
O ideal é que os cães caminhem cerca de 30 minutos por dia. A caminhada pode ser trocada por atividades físicas em casa, como brincadeiras estimuladas pelo dono

Light.
Existem rações light e para perda de peso à venda
no mercado

Estimule.
Se o seu cão ou gato não gosta nem de sair do sofá, force-o a ir atrás do que gosta. Para isso, mude a cada mês os locais de alimentação, por exemplo, para que ele tenha que explorar o ambiente
atrás de comida


A GAZETA
Priscilla Thompson

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar