segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Epidemia de obesidade nos EUA atinge também os animais de estimação

FORT WORTH, Texas - Jennie, uma cadela da raça Pastor Alemão, de 6 anos, sempre foi ágil. Quando sua dona, Maribeth Ashley, percebeu que Jennie estava com dificuldade de entrar e sair do carro sozinha, preocupou-se. Depois, Maribeth viu que seu outro cão, Pickles, também de 6 anos, um vira-lata misturado com Sheperd, também precisava de ajuda para pular para o banco de trás, marcou uma visita ao veterinário. As notícias não foram boas.

- Ele me disse que os cachorros estavam tão gordos que já tinham displasia, problemas coronarianos e todos os males ligados à obesidade - explicou Maribeth.

Foi um diagnóstico bem parecido com o que a própria Maribeth, de 71 anos, moradora do Texas, recebera de seu médico dias antes. Ela, que se recuperava de um pequeno derrame e cujo peso a qualifica como uma obesa, precisava baixar suas taxas de colesterol e sua pressão, que estava muito alta.

O caso de Maribeth e de seus animais não é único. De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês), 34,2% dos americanos com mais de 20 anos apresenta sobrepeso e 33,8% são obesos.Com o aumento da obesidade entre humanos, os animais também vêm sofrendo. Uma pesquisa da Associação de Prevenção à Obesidade dos Animais de Estimação feita em 2009 em todos os Estados Unidos com veterinários mostra que 45% dos cachorros e 58% dos gatos estão acima do peso ou obesos. Os números mostram que houve um aumento da porcentagem quando comparados aos dados da pesquisa anterior.

Os veterinários explicam que o aumento da obesidade entre cães e gatos tem relação com a epidemia entre os humanos. Dietas não balanceadas, poucos exercícios e um monte de tentações também são as causas que fazem os bichos engordarem.

Não foi à toa que surgiu nos EUA o site Nulo, uma espécie de Vigilantes do Peso, mas dirigido a animais de estimação.

- Nos últimos quatro, cinco anos, percebemos que houve um aumento de problemas em animais como diabetes, doenças respiratórias, doenças nos rins - explica o fundador do Lundo, Michael Landa.

Como nos humanos, o sobrepeso nos animais aumenta o risco de artrite, doenças do coração, resistência à insulina, diabetes e alguns tipos de câncer. Dietas e atividades físicas planejadas são indicadas para perda de peso.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar