quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Égua é vitima de crueldade sexual cometida por vizinho de seus proprietários.

Um homem da Shelton, Nova Iorque foi acusado de ter abusado sexualmente uma égua de propriedade de um vizinho. Ele foi denunciado à polícia pela mãe do dono do animal.

Por volta das 06:15 de segunda-feira, Joan Flannery, contou à polícia que um homem estava em sua propriedade e parecia estar tocando o cavalo de uma forma sexual e  a égua parecia estar com dor.

A polícia disse que um membro da família Flannery relatou ter visto o homem introduzindo a mão e o braço dentro da vagina da égua em um movimento repetitivo.

Os policiais encontraram o homem, identificado como Mariano Wegiel, 63,  no curral.

De acordo com o tenente Robert Kozlowsky, Mariano Wegiel disse à polícia que estava consolando os cavalos, depois de terem sido assustado por um barulho alto.

Wegiel supostamente declarou que ele pode ter, inadvertidamente, colocado os dedos dentro de uma das éguas. Havia três equinos no curral, mas a única fêmea parece ter sido tocada, disse a polícia.
Marian Wegiel
Mariano Wegiel, 63,  flagrado no curral.
De acordo com o detetive Ben Trabka, Wegiel e os proprietários dos animais não são amigos, e Wegiel não tinha razão para estar na propriedade. A polícia disse que não sabe se isso já aconteceu antes.

"Eles nunca pegaram ele fazendo isso antes", disse Trabka. "O morador saiu e viu ontem à noite. É certamente estranho, um estranho comportamento de desvio sexual ".

Os Flannerys contactaram um veterinário que examinou a égua. A polícia disse que o animal não pareceu estar ferido.

Flannery, que possui um dos animais, disse que a suposta agressão foi "grosseira, repugnante, horrível."

"Você não pode confiar em seus vizinhos", disse ela.

Flannery disse que ela viveu naquela localidade desde 1997. "Eu tive cavalos nesta propriedade desde então, e o dono anterior da casa  tinha cavalos aqui desde os anos 60.


Flannery disse nada parecido com o que aconteceu segunda-feira com a sua égua tinha acontecido a qualquer um dos seus animais.

"A polícia (dizem eles) nunca tinha visto, e o veterinário disse que nunca tinha visto nada comoaquilo", disse ela.

Flannery  só sabia de Wegiel de passagem. Ela disse que ele acenava para ela.

Flannery ela é proprietária de cinco cavalos, e três deles estavam fora na segunda-feira quando o incidente teria ocorrido.

Wegiel foi acusado de crueldade contra os animais de quarto grau de agressão sexual, de terceiro grau,  invasão criminosa e de violação da paz segundo grau.

Wegiel foi liberado depois que pagou fiança de 500 dólares, ele deverá ser indiciado no Superior Tribunal de Justiça no Derby em 01 de novembro. Ele não pôde ser contatado para comentar o assunto.

Alicia Wright, diretor de relações públicas para a Humane Society Connecticut, disse: "Infelizmente, as sociedades humanas em todo o país encontramos diferentes tipos de crueldade todos os dias, e isso é algo que a indústria do bem-estar animal tem ouvido falar antes.

"A Connecticut Humane Society assume a posição de que qualquer ato de crueldade contra animais é deplorável", disse Wright. "Estamos satisfeitos de ver a aplicação da lei está a realizar uma investigação completa e exaustiva das acusações. Se as provas justificam, pedimos que o indivíduo seja processado em toda a extensão da lei. "
Fonte: middletownpress

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar