quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Ursos famintos na Rússia cavam sepulturas nos cemitérios para se alimentarem.

Famintos, ursos no norte da Rússia têm recorrido a cavar sepulturas nos cemitérios - e teriam de comido pelo menos um corpo - depois de um verão escaldante que destruiu suas fontes alimentares naturais de frutos do bosque e cogumelos, os oficiais disseram quinta-feira.

O hábito 'terrível' do urso pardo está forçando os habitantes da região Komi no Círculo Polar Ártico montar patrulhas 24 horas por dia, protegendo suas famílias e gado, com a preocupação de que os ursos não possam obter um sabor de carne humana fresca, disse Piotr Lobanov, um porta-voz regional para o Ministério de Emergências.

O verão passado na Rússia foi o mais quente já registrado, com grandes incêndios florestais e secas eliminando bosques e plantações, obrigando os ursos à forragem cada vez mais perto dos assentamentos humanos como o inverno se aproxima período de hibernação.

Um jornal de maior tiragem diária, Moskovsky Komsomolets, informou que um corpo foi devorado na aldeia de Verkhnyaya quando Chovia no fim de semana. Dois visitantes foram ao cemitério e gritaram diante da visão chocante, assuntando o animal que rasgava a carne humana em decomposição ,informou o jornal.


Animais domésticos, caprinos e bovinos têm virado presa para os ursos desde que a seca se abateu durante o verão europeu.

E os sinais são de que os moradores têm o direito de ser mais diligente: Um homem de 20 anos escapou com vida quando foi atacado por um urso agressivo no início de setembro na periferia da capital regional, Syktyvkar, relataram os canais principais de notícias locais.

Komi, tem o tamanho da Califórnia com o clima do Alasca, carrega o apelido de "Canto de urso", porque é 70 por cento coberto por bosques de coníferas Taiga, é o ideal habitat do urso.

Encontros com ursos em áreas urbanas não são comuns na região pouco povoada, mas está se tornando mais freqüentes, dizem autoridades.

"Este ano está sendo muito pior do que os outros", disse Lobanov. "Mas as pessoas na república todos sabemos como lidar com isso e sabemos o que pode acontecer", disse ele.

Ataques a pessoas passam dos 140 mil na Rússia e os ursos estão em ascensão em todo o país, e concentram-se no Extremo Oriente do país, onde a pesca desenfreada, reduzindo os peixes, força os ursos a buscar outras fontes de alimento, como lixo.

No incidente mais notório, em 2008, um grupo de até 30 ursos de Kamchatka - que são similares aos ursos - rondavam em torno de duas minas de uma companhia local de mineração de platina , mataram os dois guardas e cercaram os trabalhadores dentro das instalações da empresa.

www.kyivpost.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar