domingo, 12 de dezembro de 2010

As 9 mais belas e estranhas espécies descobertas na última década


O fechamento de uma década que apontou para muitas novas espécies de plantas e animais que, até então, eram desconhecidas pelos humanos. Confira as mais belas e estranhas espécies descobertas na última década e escolha a sua preferida:

1. A grande água-viva vermelha


A Tiburunia granrojo vive a 3 mil metros de profundidade, no Oceano Pacífico. E ela não é chamada de “Grande” ou “Gigante” a toa – ela tem um metro de largura! Ela não tem tentáculos, como a grande maioria das águas-vivas, mas sim pequenos braços, mais largos, que capturam o alimento – embora os cientistas ainda não saibam qual é, exatamente, esse alimento.

2. Phobaeticus chani


É um grande inseto em forma de palito. Foi encontrado no Parque Gunung Kinabalu, em Bornéu, e tem cerca de 50 cm de comprimento (o que dá a ele o título de inseto mais longo do planeta). Além do seu tamanho, os cientistas ainda não conhecem mais nenhuma peculiaridade sobre ele.

3. Rhyncocyon udzun


Descoberto em 2006, essa espécie de tamanduá é nativa da Tanzânia. Ele tem, aproximadamente, o tamanho de um coelho.

4. Tubarão-bambu


O Hemiscllium galei foi encontrado nas águas da Indonésia em 2006, em uma área de corais, com muita biodiversidade. Apesar de poder nadar sem dificuldade, normalmente ele se movimenta usando suas nadadeiras como pequenas pernas, andando no fundo do oceano.

5. Phragmipedum kovachii


Essa enorme orquídea foi encontrada em 2001, sendo vendida na estrada do Perú para um comerciante que, ilegalmente, levou a espécie para os Estados Unidos. Ele foi processado, mas a orquídea leva seu nome “Kovachii”. As flores chegam a ter 20 centímetros de largura.

6. Kipunji


O Rugwecebus kipunji é uma espécie de macaco que foi descoberta em 2003, na região da Tanzânia. Cientistas entrevistavam os habitantes locais sobre a floresta e muitos comentaram sobre um “kipunji”. Quando encontraram o macaco consideraram ser uma nova espécie, mas análises do DNA do animal mostraram que ele pertence a um gênero completamente diferente.

7. Nephentes palawanensis


Essa planta gigante foi descoberta nas Filipinas, em uma montanha chamada “o Morro do Sultão”. Ela, assim como muitas “colegas” é chamada de planta “jarro”, porque seu formato faz com que ela fique cheia de água. E o receptáculo também serve para capturar insetos – presas que caiam ali dentro dificilmente podem sair, já que as paredes do jarro são muito escorregadias.

8. Cyrtodactylus macrotuberculatus



Essa salamandra foi descoberta em 2008, na Malásia. Tem uma visão extremamente aguçada, que permite que ela capture presas à noite. Mas o que é mais incrível é que há duas versões da mesma salamandra – a que vive em florestas e a que vive nas cavernas. Elas são o mesmo tipo de salamandra, porém apresentam algumas diferenças visíveis, o que faz os cientistas acreditarem que elas evoluíram para se adaptar aos ambientes em que vivem.

9. Preguiça pigméia


A espécie foi descoberta na costa do Caribe. A espécie está isolada na ilha há 9 mil anos, quando os níveis do mar subiram e fizeram com que elas fossem separadas de animais que, hoje, são muito diferentes delas. Elas tem metade do tamanho de uma preguiça normal e só há 200 exemplares na ilha. [BBC]

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar