sábado, 4 de setembro de 2010

Polêmica: Aposentadoria para chimpanzés?

ALAMOGORDO, EUA - Flo, uma chimpanzé, passeia por sua jaula, joga uma bola de borracha e depois admira uma pimenta verde que será seu lanche esta manhã. Já faz muito tempo que Flo estava em exibição no zoológico de Memphis, e ainda mais tempo desde que aprendeu a fumar cigarros durante uma passagem por um circo. Mais recentemente, ela foi cobaia em testes relacionados à hepatite C e ao HIV. No momento, no entanto, ela está desempregada - mas talvez não por muito tempo.

Flo e outros 185 chimpanzés que moram no Centro de Primatas de Alamogordo, na Base Aérea de Holloman, não são usados como cobaias há quase um década, como parte de um acordo entre o Instituto Nacional de Saúde dos EUA (NIH, na sigla em inglês) e os militares, que proíbe o uso dos animais em testes biomédicos na base. Mas, recentemente, o instituto decidiu que queria usar a colônia de chimpanzés em pesquisas médicas novamente, principalmente no desenvolvimento de uma vacina contra a hepatite C. Em junho, alguns dos animais foram enviados em caminhões especiais para o Centro Nacional de Pesquisas com Primatas em San Antonio e os planos são de remover os demais chimpanzés até 2011.

A transferência detonou revolta entre os defensores dos direitos dos animais, especialistas em primatas e políticos, que dizem que os chimpanzés - muitos deles de meia idade e idosos - mereceriam passar o que resta de suas vidas em paz após anos dedicados a pesquisas invasivas. E também jogou nova luz no debate sobre o tênue limite entre ciência e ética, levantando vozes como a da lendária primatologista Jane Goodall e do governador do estado do Novo México, Bill Richardson.

- Esses chimpanzés deram sua liberdade, assim como seu habitat natural, seus corpos, sua saúde e seus filhos para as pesquisas - diz Laura Bonar, diretora do Programa de Proteção de Animais do Novo México, que quer transformar o centro de Alamogordo em um asilo para a aposentadoria dos macacos. - No fim de suas vidas, podemos devolver algo a eles - defende.

Para o NIH, porém, os chimpanzés são um recurso valioso. O acordo que proíbe seu uso em pesquisas foi firmado quando os macacos foram adquiridos da Fundação Coulston, um infame laboratório de pesquisas no estado que agentes federais descobriram que abusava e maltratava os animais. Em 2001, o instituto fechou um contrato de 10 anos com um laboratório privado para cuidar da saúde deles, muitos infectados ou expostos a doenças como a própria hepatite C e o HIV, vírus causador da Aids, nas pesquisas. Atualmente, chimpanzés como Flo, que aos 53 anos é uma das mais velhas em Alamogordo, passam seus dias em pequenos grupos distribuídos em domos geodésicos catando comida, balançando em suas estruturas e acenando para eventuais visitantes e entre si.

Harold Watson, que chefia o programa de pesquisas com chimpanzés no Centro Nacional de Recursos para Pesquisas, diz que, ao fim desse contrato, o certo é que os macacos voltem a ser usados em seu propósito original. A pesquisa - que provavelmente vai demandar a coleta periódica de amostras de sangue, biópsias do fígado e, em alguns casos, inoculação com o vírus da hepatite C - será bem monitorada, afirma:

- As pessoas têm uma imagem de macacos com eletrodos ligados diretamente em seus cérebros. Não é disso que estamos falando.

O histórico das pesquisas com primatas, no entanto, há muito desperta controvérsias. Por causa de sua proximidade genética com os seres humanos, os chimpanzés são considerados cobaias ideais nos estudos de várias doenças infecciosas ou distúrbios psicológicos que afetam a humanidade. Mas muitos questionam se estas pesquisas levaram a reais descobertas importantes, e os EUA atualmente são o único país desenvolvido que continua a usar o confinamento em larga escala de chimpanzés em laboratórios. Os defensores das pesquisas, por sua vez, afirmam que elas já deram sim muitas contribuições à ciência.

Ainda aguarda aprovação no Congresso americano o chamado Ato de Proteção dos Grandes Macacos, que levaria à aposentadoria de 500 chimpanzés pertencentes ao governo federal em santuários permanentes. O próprio centro de Alamogordo tem suas origens em experimentos conduzidos pela Força Aérea no fim dos anos 50. John Gluck, professor emérito de psicologia da Universidade do Novo México, visita a colônia da base desde os anos 70 e está preocupado com as consequências para saúde física e mental dos animais que uma possível mudança para San Antonio pode trazer, principalmente tendo em vista o "enorme preço" que eles já pagaram sendo cobaias em laboratórios como o da Fundação Coulston.

- O NIH, em geral, é um lugar de respeito, mas parece-me que eles perderam tanto sua bússola ética quanto a científica neste caso - diz.

Dan Frosch, do New York Times

Tubarões atacam cardume em bando

Os predadores, aparentemente da espécie tubarão-tigre, cercavam um gigantesco cardume de peixes (Foto: BBC)

Dezenas de tubarões foram avistados em plena caça por um helicóptero que sobrevoava a costa leste da Austrália na sexta-feira.


Os predadores, aparentemente da espécie tubarão-tigre, cercavam um gigantesco cardume de peixes que nadava próximo à cidade de Noosa, segundo a imprensa local.

Autoridades da região foram avisadas, mas não havia banhistas no local.

Embora tubarões sejam conhecidos por caçarem sozinhos, estudos recentes indicam que determinadas espécies apresentam padrões de caça em grupo.

Para mais notícias, visite o site da BBC Brasil

Bicho-preguiça. Saiba tudo sobre esse animal maravilhoso

Ele dorme durante a maior parte do dia e, mesmo acordado, o que acontece na maioria das vezes à noite, anda bem vagarosamente. Além disso, não desce da sua árvore a não ser que seja extremamente necessário... Não é à toa, que ele leva o nome de bicho-preguiça.

Atualmente são conhecidas seis espécies de bichos-preguiça, das quais cinco são encontradas no Brasil. São animais desengonçados, lentos, se alimentam de folhas, brotos e flores, descem da árvore em que moram apenas uma vez por semana para fazer suas necessidades fisiológicas...

Movimentam-se mais durante a noite, quando a temperatura é mais amena e quando se expõem ao menor número de predadores. Como este grupo de animais sobreviveu até os dias de hoje? Vamos descobrir lendo um pouco mais neste artigo.

Um pouco da evolução


As preguiças surgiram na terra cerca de 35 milhões de anos atrás (final do Eoceno) e pertencem a uma ordem relativamente jovem de mamíferos – Xenarthra.


Apesar de atualmente só existirem seis espécies de preguiças, distribuídas em dois gêneros (Bradypus e Choloepus) já foram catalogadas mais de 100 espécies extintas, classificadas em 35 gêneros. Os fósseis (no caso os esqueletos) destes animais já foram encontrados em partes da Antártica, Américas do sul, Central e do Norte. Algumas das preguiças extintas eram muito maiores do que as atuais e faziam parte da megafauna – constituída por animais considerados gigantes que ocorriam, por exemplo, no sul do Brasil.


A maior de todas as preguiças de que se tem notícia era do gênero Megatherium e viveu durante o Pleistoceno (acredita-se que tenha sido extinta cerca de 10 mil ou 12 mil anos atrás). Com massa estimada de quatro a cinco toneladas (cerca de 70 homens ou um ônibus lotado) e com até quatro metros de altura (quando apoiada em seus membros posteriores) estas preguiças, com certeza, não viviam sobre árvores, mas provavelmente tinham os mesmos hábitos alimentares das atuais.


Darwin em 1832, durante sua viagem no Beagle pela América do Sul, coletou e levou para a Europa fósseis encontrados, por exemplo, em Baía Blanca, na Argentina. Estes fósseis foram estudados pelo anatomista Richard Owen e são considerados uma importante contribuição para o desenvolvimento da Teoria da Evolução.

Quatorze horas de sono
Os bichos-preguiça têm esse nome porque além de dormir por 14 horas diárias, fazem todos os seus movimentos muito lentamente, como se estivessem sempre em câmera lenta. Elas levam um minuto para avançar de dois a quatro metros. São mamíferos placentários (classe Mammalia) de porte médio (entre 2,5 e 6,0 kg e medindo de 48,5 a 70 cm, quando adultos) que vivem no alto de árvores das florestas tropicais desde a América Central até o norte da Argentina. São, portanto, animais de hábito arborícola. Preferem árvores altas, com copa densa e volumosa, cheia de cipós para poderem se dependurar e se camuflar. Seus movimentos lentos e a coloração escura de seus pêlos facilitam a sua camuflagem. Têm garras muito longas e muito fortes que são usadas para subir em árvores e para se dependurar em galhos com facilidade. Apesar de parecerem ameaçadoras as garras não são usadas como defesa. Estes animais passam a maior parte do tempo dependurados nos galhos das árvores, boa parte do tempo de cabeça para baixo.

Como a temperatura corporal destes animais fica sempre muito próxima da temperatura ambiente, variando entre 27º e 34,5ºC, eles são considerados homeotérmicos imperfeitos. Isto é uma maneira de economizar o gasto de energia.

Os bichos-preguiça são animais solitários e cada um tem seu território próprio definido, onde permanece a maior parte da vida. Cada animal costuma ter em seu território uma árvore preferida, na qual passa a maior parte do tempo.

As preguiças fazem quase tudo no alto das árvores: nascem, crescem, se alimentam, se acasalam e, principalmente, dormem... Só descem a cada sete ou oito dias para fazer suas necessidades fisiológicas (urinar e defecar) ou, mais raramente, para trocar de árvore em busca de alimento já que, normalmente, a troca de árvores é feita pelo alto mesmo. No chão as preguiças são ainda mais lentas e ficam muito vulneráveis aos predadores.


Classificação
As preguiças são divididas em duas famílias de acordo com o número de dedos que tem nos membros anteriores (mãos). Os animais da família Bradypodidae têm três dedos e pertencem ao gênero Bradypus, com quatro espécies. A outra família, Megalonychidae, tem duas espécies do gênero Choloepus, inclui os bichos-preguiça com dois dedos. Além disto, os animais da família Bradypodidae são bem mais dóceis do que os da família Megalonychidae. Mais informações nos itens abaixo.

Bradypodidae
Bradypus tridactylus - Distribui-se da América Central até o Norte da Argentina (Venezuela, Bolívia, Rio Orinoco, Guianas e norte do Brasil). Pesa entre 2,5 e 5,5 Kg e mede até 75 cm.
Bradypus torquatus – Esta espécie é endêmica dos remanescentes florestais da Mata Atlântica da Bahia, do Espírito Santo e do Rio de Janeiro. Pesa entre 3,6 e 4,2 kg e mede entre 45 e 50 cm. Considerada ameaçada pela IUCN.
Bradypus variegatus - Está espécie ocorre desde Honduras ao norte da Argentina e Brasil. As fêmeas pesam em média 4,2 Kg.
Bradypus pygmaeus – Está espécie foi descoberta e descrita somente em 2001. É endêmica da Ilha Escudo de Veraguas, Arquipélago Bocas del Toro, no Panamá e é a única espécie que não ocorre em território brasileiro. É o menor dos bichos-preguiça medindo entre 48,5 e 53 cm e pesando entre 2,5 e 3,5 kg. É classificada pela União Mundial para a Natureza (IUCN) como criticamente ameaçada, principalmente porque tem uma área de ocorrência muito restrita.

Megalonychidae

Choloepus didactylus - Encontrada da América central até o norte da América do sul, incluindo áreas de florestas do Brasil e do Peru.
Choloepus hoffmanni - Vive em florestas das Américas Central e do Sul da Nicaraguá até o Peru e regiões centrais do Brasil. Pesa até 5,7 kg e mede entre 54 e 70 cm.

Ficha técnica
Ordem - Xenarthra (antiga Edentata)
Famílias - Bradypodidae (três dedos) e Megalonychidae (dois dedos)
Habitat - Florestas tropicais
Distribuição - Américas Central e do Sul
Longevidade - 20 anos na natureza e entre 30 e 40 anos em cativeiro
Gestação - 11 meses
Cuidados com o filhote - 9 meses
Número de filhotes - 1

Espécies e nomes comuns (português e inglês)
Bradypus tridactylus - Preguiça-de-bentinho ou Pale-throated Three-toed Sloth
Bradypus torquatus - Preguiça-de-coleira ou Maned Three-toed Sloth
Bradypus variegatus - Preguiça-comum ou Three-toed sloth
Bradypus pygmaeus - Preguiça-anã ou Pygmy Three-toed Sloth
Choloepus didactylus - Preguiça-de-dois-dedos ou Linné's Two-Toed Sloth
Choloepus hoffmanni - Preguiça-real ou Hoffmann's Two-Toed Sloth


Alimentação e reprodução
As preguiças têm dentes rudimentares ou incompletos quando comparados com os dentes de outros mamíferos, como os humanos. Os dentes das preguiças não têm esmalte, são extremamente fracos e se desgastam com facilidade. As preguiças já nascem com os dentes e para Bradypus torquatus são 18: dez na arcada superior e oito na arcada inferior (Fonte: Azarias).

Os dentes não possuem uma raiz verdadeira, a dentição é permanente e o crescimento é contínuo – à medida que o dente se desgasta com o uso ele vai crescendo um pouco mais. Todos os dentes se parecem com molares e servem para esmagar ou amassar, de preferência tecidos moles. Esta característica de dentes rudimentares molariformes era o motivo pelo qual estes animais faziam parte da antiga ordem Edentata que significava desdentados. Os tatus e tamanduás também fazem parte desta ordem. O nome da atual ordem Xenarthra se deve a presença de uma articulação especial – xenartria - nas vértebras lombares que não ocorre nos demais mamíferos.

Animais com dentes rudimentares como descritos acima não podem ter uma dieta variada, com itens considerados duros ou resistentes. Por isso as preguiças são exclusivamente herbívoras e comem preferencialmente folhas, flores, brotos, talos verdes e frutos, de poucas espécies de árvores. As embaúbas, as ingazeiras e as figueiras são as principais árvores usadas pelos bichos-preguiça para se alimentar e se abrigar.

Os alimentos consumidos pelas preguiças não têm muitas calorias para oferecer, um dos motivos que fazem destes animais tão lentos: eles estão sempre tentando economizar toda a energia possível.

Devido à grande quantidade de tanino que existe nos alimentos das preguiças, o processo de digestão envolve duas etapas distintas: a extração de energia dos alimentos consumidos e um processo de desintoxicação. O aparelho digestivo é parecido com o dos ruminantes (animais com estômago dividido em compartimentos) e possui quatro divisões. A diferença é que os ruminantes como as girafas têm um sistema diferente já que deposita no estômago e depois voltam a mastigar. As preguiças, não. Elas têm uma rica flora bacteriana – as bactérias são realmente quem consegue digerir a massa vegetal ingerida, quebrando a celulose e liberando energia. Todo este processo é muito demorado. O alimento passa lentamente de uma câmara do estômago para a outra. A passagem do alimento digerido pelo intestino – muito longo e que pode representar 30% do peso do animal – também ocorre muito lentamente possibilitando que o máximo de nutrientes e energia seja absorvido pelo organismo do bicho-preguiça.

Como as preguiças conseguem pouca energia dos alimentos que consomem, elas têm o metabolismo muito baixo, aproximadamente 70% inferior aos níveis de metabolismo de outros mamíferos com estrutura parecida (peso e tamanho). Ser lento, no caso das preguiças, é questão de sobrevivência.

Reprodução
Steffen Foerster  istockphoto.com
A mãe de um bicho-preguiça cuida do filhote até os nove meses em média


A maturidade sexual ocorre mais ou menos aos três anos de vida. A cópula (ou ato sexual) dura entre três e cinco minutos. O tempo de gestação varia entre as espécies sendo de seis meses para Choloepus didactylus até 11 meses para Bradypus torquatus. A fêmea grávida gasta um pouco da energia que obtêm para manter sua temperatura cerca de 3ºC acima da do ambiente e garantir um melhor desenvolvimento do embrião. A mãe carrega o filhote nas costas e na barriga, alimentando-o e protegendo pelos primeiros nove meses de vida (variável entre as espécies). O filhote herda parte do território da mãe.

Ameaças e curiosidades
Embora seus principais predadores naturais sejam as harpias, as onças e as jibóias; a maior ameaça à sobrevivência dos bichos-preguiça são os humanos. As preguiças de três-dedos, mais dóceis que as demais, costumam ser procuradas como animais de estimação e são vendidas ilegalmente em feiras livres e na beira de estradas.

Além da captura direta para venda como animais de estimação a destruição progressiva e contínua de seu ambiente natural é outra ameaça para a conservação das preguiças. As florestas tropicais nas quais as preguiças vivem estão diminuindo dia-a-dia. A fragmentação das florestas deixa as preguiças muito vulneráveis.

Muitas vezes as preguiças têm que atravessar de um fragmento para outro em busca de comida e são atropeladas ao atravessarem rodovias ou então atacadas por cães domésticos já que a área residencial tende a avançar em direção as áreas de florestas.

Segundo a União Internacional para Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), uma espécie (Bradypus torquatus) está em perigo e outra (Bradypus pygmaeus) criticamente ameaçada.





Curiosidades








    bicho-preguiça 
    Alexander Rybakov © istockphoto.com
    A vida do bicho-preguiça é praticamente na árvore.
    Nas ranhuras dos pêlos longos dos bichos-preguiça crescem algas verdes e cianofíceas que dão uma coloração esverdeada escura ao animal. Esta cor ajuda o animal a ficar mais parecido com a vegetação e a se esconder melhor.


  • Algumas espécies de lagartas de borboletas vivem associadas aos bichos-preguiça, se alimentando das algas que crescem nos pêlos dos indivíduos.


  • Os pêlos crescem em sentido contrário dos demais mamíferos, facilitando que a água da chuva escorra quando estes animais estão dependurados.


  • Eles nunca bebem água. Toda água de que precisam é obtida através do processo de digestão do alimento consumido.


  • As preguiças conseguem observar todos os ângulos ao seu redor. Isto porque elas conseguem girar a cabeça cerca de 2700 sem mexer o corpo.


  • A movimentação diária destes lentos animais é de aproximadamente 38 metros.


  • Surpreendentemente estes animais são exímios nadadores e, de certa maneira, muito velozes na água.
  • sexta-feira, 3 de setembro de 2010

    Comportamento animal. O que diz o xixi do seu mascote

    Especialistas indicam a educar seu cão para evitar problemas em casa

     

    Você já se descabelou ao ver o sofá “batizado” pelo totó? Pois não é o único: grande parte dos donos não sabe como agir diante do impulso do pet de urinar em qualquer lugar e sem aviso prévio. Pensando nisso, a Revista conversou com um especialista em comportamento animal e descobriu algumas maneiras de evitar maiores aborrecimentos com esse reflexo canino.

    Não importa se o cão é de pequeno porte: o odor da urina dele tem o poder de tomar o ambiente. Quando o animal é macho, então, a situação é ainda mais difícil, já que eles insistem em marcar território com seus dejetos. Geralmente, quando o bicho é filhotinho, funciona a velha técnica do jornal, que pode ser aperfeiçoada com o uso de produtos específicos, que apontam o “caminho olfativo” do banheiro. Às vezes, porém, o treinamento falha.

    É o caso do yorkshire Jean Paul, de 2 anos. Ele insiste em usar os tapetes da sala e do quarto como toalete — para desepero do dono, o estudante Alexandre de Albuquerque Brito, 20 anos.

    — Tentamos um produto líquido, próprio para ensiná-lo, mas como não ficávamos muito em casa, não dava para controlar direito — lembra.

    O problema só foi amenizado quando o estudante passou a descer duas vezes ao dia, de manhã e à noite, com Jean Paul.

    — Agora, ele só faz às vezes. E, quando estamos perto, brigamos — afirma Alexandre.

    Como interpretar esse gesto de rebeldia? Segundo o especialista em comportamento animal André Agramonte, os cães estão aptos a aprender os locais estabelecidos pelos donos, mas é preciso, antes de tudo, paciência.

    — É preciso pensar como eles e levar em consideração todas as limitações e dificuldades típicas do animal — afirma Agramonte.

    Para o especialista, se o adestramento não está funcionando, provavelmente o erro é do dono.

    — Ele não está conseguindo transmitir a informação ao cachorro — avalia.

    Ao contrário do que algumas pessoas acreditam, treinar um cão adulto é possível, embora o aprendizado seja mais lento do que o de um filhote. De acordo com André Agramonte, é como uma criança e um idoso em relação a um computador:

    — Não é uma regra, mas a criança provavelmente terá mais facilidade — compara.

    Os cachorros compreendem a diferença entre o certo e o errado desde muito cedo, acreditam os pesquisadores. Lá pelos 35 dias de vida, já entendem o que podem ou não fazer.

    Quando o cachorro demonstra ter aprendido o lugar certo e, numa exceção, comete um deslize, a situação pode estar relacionada a algo mais que instinto ou desobediência.

    — É necessário avaliar. Geralmente, as questões emocionais estão ligadas às atitudes do dono, que incluem mudanças muito bruscas na rotina, falta de passeios, troca de tipo de ração — exemplifica Agramonte.

    Em casos em que o cão urina quando o dono chega em casa, os sentimentos também estão envolvidos. Trata-se da ansiedade excessiva após passar um período sozinho no lar.

    Se o seu cão aprendeu a fazer as necessidades no lugar certo e, de uma hora para outra, ficou rebelde, pode ser que ele esteja tentando chamar a sua atenção

    Onde fazer?
    Antes de eleger o banheiro do pet, é preciso ser criterioso com relação à comodidade e à higiene. O lugar escolhido deve ser longe da comida deles. “Assim como nós, eles gostam de ter um bom local para dormir, para se alimentar e para fazer as necessidades. Todos em lugares diferentes da casa”, diz o especialista em comportamento animal André Agramonte.

    Ensiná-los a fazer xixi e cocô nos passeios na rua é uma boa opção, desde que sejam regulares e, no mínimo, três vezes ao dia — com chuva ou sol. Quando as saídas não acontecem sempre, os animais correm o risco de ter problemas no organismo.

    — Sempre aconselho a ensinar tanto dentro de casa como nos passeios, assim o bichinho fica à vontade para escolher — diz o especialista.

    Vale lembrar: é de bom tom recolher o dejeto dos companheiros com uma pá e um saco plástico.

    A modernidade dá uma ajuda
    Para os donos sem muita paciência de ensinar aos bichos o lugar certo das necessidades, alguns produtos podem ser um alento. Entre os métodos e ferramentas, estão os tapetes descartáveis, que absorvem a urina, e os repelentes, que afastam os animais dos lugares impróprios.

    O Seca Xixi Varrer, da linha Seca Xixi, transforma a urina do cachorro em pó e é uma ótima opção também para quem tem quintal em casa. Prático, o produto é aplicado diretamente sobre a urina. Após varrido, o xixi pode ser jogado direto no lixo, em vasos de plantas ou em jardins, já que é natural e não compromete o meio ambiente. Depois, o local não precisa ser higienizado por outro produto, pois o Seca Xixi Varrer elimina o odor e tem ação bactericida.

    CORREIO BRAZILIENSE

    Calor muda dieta de animais de zoológico

    Calor muda dieta de animais de zoológico no interior de SP
    Bichos comem alimentos refrescantes, como picolés de frutas e de carne.
    Cardápio especial é servido três vezes por semana.

    Ainda é inverno, mas por causa das altas temperaturas a alimentação dos bichos no zoológico de Sorocaba, a 99 km de São Paulo, já é típica de verão. Os macacos recebem sorvetes de melancia.

    Para os felinos, um preparado de carne congelada refresca os animais. Esse cardápio especial só é fornecido três vezes por semana. Elefantes e outros bichos são banhados para aguentar o calor.



    Fonte: G1

    É um Poodle ou panda gigante?

    Poodle tem pelo pintado para ficar parecido com panda gigante
    Cão foi exibido em uma feira de animais em Xangai.
    Poodle virou atração por causa de sua pintura curiosa.


    Um poodle teve seu pelo pintado para ficar parecido com um panda gigante. O cachorro foi exibido em uma feira de animais de estimação nesta sexta-feira em Xangai, na China. (Foto: Eugene Hoshiko/AP)

    Poodle virou atração em feira na China. (Foto: Eugene Hoshiko/AP)

    'Semicossyphus reticulatus', o peixe com 'aparência de Shrek'

    'Semicossyphus reticulatus' foi flagrado no Japão.
    Espécie pode alcançar até um metro de comprimento.
    Um peixe da espécie "Semicossyphus reticulatus" filmado por mergulhadores na costa japonesa ganhou o apelido de "Shrek" por causa de sua aparência. Segundo a associação japonesa de pesca esportiva, a espécie pode alcançar até um metro de comprimento. O maior exemplar já fisgado foi um de 14,7 quilos, conforme a entidade.
    Peixe ganhou apelido de Shrek. (Foto: Reprodução)


    Semicossyphus reticulatus é uma espécie de peixe da família Labridae.
    Pode ser encontrada nos seguintes países: China, Japão, Coreia do Norte e Coreia do Sul.
    Os seus habitats naturais são: mar aberto, mar costeiro, pradarias aquáticas subtidais e recifes de coral.

    (em inglês) Cornish, A. 2004. Semicossyphus reticulatus2006 IUCN Red List of Threatened Species. Dados de 5 de Agosto de 2007.

    Nascimento de hipopótamo pigmeu provoca festa na Polônia

    Um hipopótamo pigmeu macho, de 5 quilos, nasceu nesta quinta-feira (02/09) em um zoológico da cidade de Wroclaw, na Polônia, para alegria dos funcionários do lugar. A espécie, nativa das florestas e pântanos da África Ocidental, está em extinção e em todo o mundo há apenas cerca de 3 mil animais do tipo.



    O nascimento do pequeno hipopótamo foi comemorado, principalmente, por ser o bichinho do sexo masculino. Dos cerca de 90 animais que vivem em zoológicos na Europa, só 30 são machos. Por isso, o jovem “pigmeu” já tem futuro planejado. Quando chegar a idade adequada, ele viajará o continente para ajudar na reprodução de outros animais, garantindo a continuidade de sua espécie.

    Enquanto isso, o zoológico de Wroclaw anunciou um concurso para encontrar um nome apropriado para o hipopótamo.



    E você, que nome escolheria para o bichinho?

    (Fotos: Adam Hawalej/Agência EFE)

    quinta-feira, 2 de setembro de 2010

    'Vaca unicórnio' vira atração em fazenda na China

    Fazendeiro Jia Kebing notou uma pequena protuberância na testa dessa vaca quando ela nasceu, há dois anos, mas não esperava que terceiro chifre chegasse a 20 centímetros..
    'Minha fazenda é famosa na região', disse Jia Kebing.
    Terceiro chifre mede cerca de 20 centímetros. (Foto: Reprodução/Metro)

    Uma vaca virou atração em uma fazenda em Baoding, na província chinesa de Hebei, por apresentar um terceiro chifre. Dono do animal apelidado de "vaca unicórnio", o fazendeiro Jia Kebing disse que notou uma pequena protuberância na cabeça da vaca quando ela nasceu há dois anos. Mas o chifre cresceu e hoje mede cerca de 20 centímetros, segundo o jornal inglês "Metro".
    "Minha fazenda é famosa na região por causa dessa vaca. As pessoas vêm aqui só para vê-la", afirmou o fazendeiro.

    G1 e MEtro

    Crocodilo gigante devora tubarão-touro na batalha da natureza de pesos pesados

    No ataque do campeonato pesado do reino animal, um crocodilo gigante derrotado um tubarão em um TKO - e gozava de um jantar de marisco vitória.

    Dois barcos cheios de turistas tem a oportunidade de foto de uma vida pós-crocodilo decisivo pé vencer a 16 em um rio na Austrália 's Kakadu National Park manhã de sábado, o país Northern Territory News.

    "Quase 100 pessoas viram tudo ... e eles estavam pulando de alegria", guia turístico , David Cameron, disse o jornal. "Eles disseram que este tinha feito a sua viagem de Kakadu.

    O perdedor, um tubarão-touro que tinha meandered o apropriadamente chamado South Alligator Rio em busca de alimento, foi cerca de 10 metros antes de ter sido mordido pela metade. O crocodilo tinha a vantagem de jogar em casa porque o tubarão de mar estava nadando na água fresca no momento do ataque.

    Cameron, um ex-guarda-parque, disse ao jornal que não é a primeira vez que viu a luta duas espécies de um cais no topo da cadeia alimentar.

    "Com a vida selvagem aqui, você simplesmente não sabe o que você começa a ver", disse ele. "Essa é a beleza da coisa."

    Sexo Animal: eles desrespeitam as regras quando se trata de jogo de amor e sexo.

    Bonobos: O sexo é uma farra!


    Animais desrespeitam as regras estabelecidas quando se trata de jogo de amor e sexo. Na verdade, o reino animal está cheio de swingers. Bonobos são altamente promíscuos, engajam-se em relações sexuais com mais freqüência do que qualquer outro primata, e em quase todas as combinações de uniões homossexuais a  heterossexuais. Até mesmo mães com seus filhos adultos. As sociedades  Bonobo se identifica com o lema "Faça amor, não guerra", e seu sexo freqüente tem objetivo de fortalecer os laços sociais e resolver conflitos.

    Esta idéia poderia explicar por que as sociedades bonobo são relativamente pacíficas e seus parentes, os chimpanzés, que praticam sexo exclusivamente para a reprodução, são propensos à violência.

    Fonte: livescience.com

    5 Animais com olhos fantásticos

    Você é fascinado por olhos? Bem se prepare porque aqui está uma lista de criaturas que, talvez, tenham os olhos mais surpreendentes em todo o reino animal. Vou deixar as fotos falarem.

    Começando com o quinto ...

    Corujas
    Você sabia que os olhos corujas estão fixos em suas órbitas? Para observar alguma coisa ao seu lado gira o pescoço em um ângulo de até 270 graus, aumentando assim o seu campo visual. Ela tem que virar a pescoço, pois seus grandes olhos estão dispostos lado a lado num mesmo plano. Essa disposição frontal, proporciona à coruja uma visão binocular (enxerga um objeto com ambos os olhos e ao mesmo tempo), isso significa que a coruja pode ver objetos em três dimensões, ou seja, altura, largura e profundidade.


    Não só eles próprios pares de olhos incríveis, eles também podem controlar as expressões faciais

    O próximo up são os ...
    Chocos
    Pois bem esses pares de olhos são bem diferentes ...
    O quê? Onde está o olho? Olhe bem de perto, sim isso mesmo. Este "W"  é a forma do olho! Apesar de sua absoluta estranheza, seus olhos é um dos mais desenvolvidos do reino animal como nós o conhecemos. (Eu mencionei que eles têm sangue verde?).


    Em terceiro lugar, temos ...
     Husky 
    A maioria das pessoas que viu um husky antes deve reconhecer os seus olhos muito especiais. Os traços comuns de huskies é que eles são muito gentis, simpáticos e inteligente. Esta raça de cães nórdicos destaca-se pela beleza física e pela energia que dispõe.
    O husky siberiano é muito brincalhão. Por esse motivo, este cão é recomendado para as crianças com cinco anos em diante



    Estamos quase lá, mas em segundo lugar estão os ...
    Gatos
    A cor dos olhos de um gato pode variar muito!
    Em proporção ao corpo, os gatos são os mamíferos que possuem os maiores olhos.
    ·Um gato enxerga 6 vezes melhor do que um humano à noite, porque necessita de 1/6 da quantidade de luz necessária ao homem para enxergar.
    · Recentes estudos revelaram que os gatos podem ver o amarelo, azul e o verde. Ainda não se sabe ao certo, se conseguem ver o vermelho, provavelmente essa cor é vista como cinza ou preto..
    · Gatos de olhos azuis e brancos de pelagem, são geralmente surdos.



    Finalmente, em primeiro lugar, temos ...
    Sapos e rãs
    Ok, então eles são espécies diferentes, de modo na verdade há um empate, mas dê uma olhada em seus olhos! Eles são conhecidos por terem íris que vêm em várias cores - verde, marrom, vermelho, bronze, prata e ouro! Eles também têm sido vistas em formas diferentes também. Incluindo pupilas redondas, as pupilas em forma horizontal (que são mais para a visão diurna), as pupilas verticais (que se parece com uma linha, que são grandes para visão noturna),  pupilas em forma de coração (aww), pupilas triangulares e mesmo aqueles em forma de estrela! Confira!


    scienceray

    quarta-feira, 1 de setembro de 2010

    Mitos sobre cães em prédios; veja verdades e mentiras

    Adaptação dos animais no espaço reduzido gera dúvidas.
    Veja a opinião de especialistas sobre o assunto.


    A adaptação de cães em apartamentos sempre gera dúvidas, principalmente quando o bichinho já viveu parte da vida em uma casa com quintal e, depois, tem que acompanhar o dono ao novo lar. Muita gente também fica preocupada porque trabalha o dia todo e tem que deixar o cachorro sozinho. Mas o pior é saber enfrentar vizinhos e síndicos que querem proibir a presença de animais nos edifícios.
    Para descobrir o que é mito e o que é verdade nesse assunto tão polêmico, o G1 ouviu a advogada e presidente da União Internacional Protetora dos Animais (Uipa), Vanice Orlandi, a veterinária Rosangela de Oliveira Alves Carvalho, professora da Universidade Federal de Goiás (UFG), e a veterinária Christina Malm, professora da Universidade Federal de Minas Gerais.


    Fonte: G1

    terça-feira, 31 de agosto de 2010

    Genética cria 'supersalmão' nos Estados Unidos

    Salmão é geneticamente alterado nos Estados Unidos
    Peixe tem quase o dobro do comprimento do original.
    FDA decidirá se versão poderá ser vendida para consumo nos EUA.


    Uma espécie de salmão de águas atlânticas foi geneticamente alterada para gerar indivíduos maiores. Na imagem, o peixe ao fundo foi manipulado no AquaBounty Technologies. O salmão alterado possui quase o dobro do comprimento do original. A agência norte-americana para controle sanitário irá decidir se consumo do peixe será autorizado. (Foto: REUTERS / Barrett & McKay Photo / AquaBounty Technologies / Handout)

    A decisão sobre a segurança do  salmão geneticamente modificado criados em PEI só pode ser semanas afastado.

    Aqua Bounty Technologies está à espera de uma decisão da Food and Drug Administration E.U por 11 anos.

    O salmão geneticamente modificado cresce duas vezes mais rápido que o salmão de viveiro regular e é o primeiro alimento geneticamente modificado animal que será revisto pelo FDA.

    A comissão médica veterinária da agência E.U. consultoria deve divulgar suas recomendações em um encontro público em 20 de setembro, em Maryland.

    A comissão foi rever a segurança alimentar e o potencial impacto ambiental  do salmão geneticamente modificado escapar e acasalar com o salmão selvagem do Atlântico.

    A reunião faz parte de uma exigência de transparência sobre como o produto da empresa, disse Ronald Stotish, presidente da Aqua Bounty's.

    Recomendações não vinculativas

    "É provavelmente verdade que a maioria das pessoas não sabe muita coisa sobre de onde a comida vem ou como ela é produzida", disse Stotish.

    "Assim, o objetivo aqui é fornecer informações para permitir que as pessoas sejam conscientes de que seus interesses estão salvaguardados e que não há uma revisão completa e eficaz de qualquer aplicação."

    A empresa acaba de iniciar a aplicação de uma revisão pelo Ministério da Saúde do Canadá para que o produto a seja vendido no país.

    segunda-feira, 30 de agosto de 2010

    Top 10 animais mais venenosos do Mundo

    Estes animais têm uma potente toxidade e são capazes de matar seres humanos, por isso é altamente prudente se, algum dia você encontrar uma dessas criaturas, nem pensar em chegar perto se você tem amor à sua vida.

    Está é uma Lista Top 10, portanto são apenas alguns dos animais que são capazes de matar seres humanos com seu veneno. Existem centenas de outros animais com toxidade letal ao humanos, então cuidado com eles e especialmente os da lista abaixo.

    10. Baiacu, peixe-balão ou Fugu
    Os peixes são a segunda causa de mortes por envenenamento no mundo animal.Só perdendo para o nosso amigo lá de cima o sapo. É conhecido no Japão como Fugu,e na Coréia como Bok-uh. O bichinho é até simpático, com seu jeito gorducho, mas o danado carrega um veneno mortal: a tetradotoxina, simplesmente 1.250 vezes mais tóxico do que o fatal cianureto. O veneno está normalmente contido no fígado, intestino, gônadas e pele, porém sua toxicidade pode variar sazonalmente.


    9. Sapo Lança venenosa
    Estes anfíbios são freqüentemente chamados de sapos dardos, devido aos indígenas ameríndios 'usarem de suas secreções tóxicas para envenenar as pontas das flexas . De 175 espécies, apenas três foram documentadas como sendo usado para esta finalidade.
    Esta pequena criatura é um dos sapos mais venenosos de todo universo, isso porque ainda não provaram se existe sapos ou pererecas em outros planetas do sistema solar. Mede cerca de 5cm e tem veneno de sobra para matar 10 humanos adultos ou, como preferir, 20.000 camundongos. Apenas 2 microgramas desse veneno poderoso, o que seria o tamanho da cabeça de um alfinete, ja é capaz de matar um humano desavisado que ande pelas florestas tropicais das Américas Central e Sul.
    Uma utilidade supimpa desse pequeno vidro de veneno, é usada pelos Ameríndios. Eles usavam esse coquetel tóxico para envenenar as pontas de seus dardos. Quando apareciam os inimigos, lá se iam os dardos envenenados, e onde esse veneno pegasse a sua pele iria apodrecer. os níveis de toxicidade variam consideravelmente de uma espécie para outra e de uma população para outra. Muitas espécies estão criticamente ameaçadas de extinção.

    Bonitinho, mas extramamente mortal.

    8.  Cobra-feroz (Inland Taipan)
    A espécie Inland Tapian é considerada a cobra mais venenosa da terra. Possui um veneno neurotóxico potente e complexo, inoculado através de duas presas fixas que tem na parte posterior da boca, capaz de matar um ser humano em 30 segundos. Estima-se que o veneno disponível em suas presas seria capaz de matar 100 homens ou 250.000 ratos.
    Por ser uma cobra muito tímida dificilmente há acidentes com seres humanos. Esta espécie pode ser encontrada um pouco por todo o território australiano, aparecendo com mais frequência na costa oriental, devido ao maior número de áreas florestais.


    7. Aranha Armadeira
    Aparece no livro dos recordes por ser a aranha mais venenosa e a que causa mais mortes. São as chamadas armadeiras, porque, quando ameaçadas, tomam a postura de se “armar”, levantando as patas dianteiras e eriçando os espinhos. É extremamente agressiva.
    Habitam troncos, normalmente folhagens densas, como bananeiras, montes de lenha ou materiais de construção empilhados e, eventualmente, aparecem dentro das residências, principalmente em roupas e dentro de calçados ou seja,só se você realmente não se importar com o asseio do seu lar.
    Sabe-se que apenas 0,006 mg de seu veneno é capaz de mandar para a morte um rato.

    6. Peixe Pedra
    Esse é considerado o peixe venenoso mais perigoso que existe. É um peixe solitário e não é muito chegado a companhia não. Ficam imóveis no fundo do oceano e esperando a sua presa.
    A região dorsal desse peixe é repleta de espinhos que liberam uma toxina venenosa muito poderosa. Essa toxina provoca uma dor tão grande, que a pessoa que infelizmente pisou na lomba do bicho, deseja que seu pé seja amputado. É conhecida como a pior dor que o homem ja conheceu.
    Essa dor acompanha um possível choque, paralisia e gradativamente a morte dos tecidos. Se não for tomado os cuidados necessários um adulto pode morrer em poucas horas.
    Vive nas aguas rasas do Pacífico e do Indico.

    5. Escorpião amarelo da Palestina [Death Stalker Scorpion)
    Ao contrário do que muita gente pensa a maioria dos escorpiões são relativamente inofensivos aos seres humanos, com picadas que possuem apenas efeitos locais como, dor, inchaço e dormência.
    O escorpião amarelo da Palestina é extramamente perigoso porque seu veneno é nada mais nada menos do que um poderoso coquetel de neurotoxinas que provoca uma dor intensa e insuportavel, vindo em seguida, febre, convulsões, coma, paralisia e morte. O habitat desses ferozes meninos é o norte da Africas e Oriente Médio.                                

    4. O polvo de anéis azuis
    Esse belo exemplar de polvo, de inocente não tem nada. É pequeno atinge no máximo 20 cm, mas possui um dos piores venenos do mundo.
    É conhecido como um dos animais mais peçonhentos do mundo pois se ele morder um homem adulto, dificilmente ele sobrevivera pois não há antídoto.
    Na verdade esta preparado para mandar para a morte 26 humanos adultos, mas cada mordida há veneno apenas para um. Sua picada indolor pode parecer inofensiva no começo, mas logo você sentira fraqueza muscular,dormência, seguida por deficiência respiratória e o ”gran finale “,a morte.
    Seu habitat é em regiões coralinas na costa da Austrália, Indonésia, Filipinas e Nova Guiné.

    3. Caracol de Concha Marmorizado (Marbled Cone Snail)
    Este pequeno e bonito caracol pode ser tão mortal quanto qualquer outro animal nesta lista. Uma gota de seu veneno é tão poderoso que pode matar mais de 20 seres humanos. Se você estiver em ambiente quente de água salgada (onde esses caramujos são encontrados frequentemente) e vê-lo, nem sequer pensar em pegá-la. Evidentemente, o verdadeiro propósito do seu veneno é capturar suas presas.

    2. Cobra-real
    A cobra-real (Ophiophagus hannah) é a maior cobra venenosa que existe. Esse dinossáurico ser pode alcançar até 5,5 metros de comprimento.
    A sua dieta consiste em basicamente comer outras cobras, daí seu nome científico “Ophiophagus”, o que significa literalmente ”comedora de serpentes” mas também não despreza um lagarto, ovo, e pequenos mamíferos.
    Apesar de não ter o veneno mais poderoso entre as serpentes possui a capacidade de inocular grandes quantidades em apenas uma mordida, o que a faz uma das serpentes mais letais da terra.
    Numa só mordida essa serpente pode liberar até 7 mililitros de veneno o suficiente para matar 20 pessoas ou até mesmo um elefante. No entanto essa cobra é extremamente tímida e evita contato com o homem, mas se for instigada,atazanada, intimada, com certeza reage ferozmente. Seu habitat natural são as florestas tropicais e planícies da India,sul da China e sudoeste asiático.

    1. Agua-viva mortal (Box Jellyfish)
    Esse belo ser que parece ter saido das profundesas do filme ” O segredo do abismo” é o campeão. Parece inofensivo, mas possui um veneno max-ultra-power-mega-poderoso.
    Essa agua-viva, possui o corpo praticamente quadrado e habita o norte e nordeste da Austrália. O veneno presente em seus delicados tentáculos chegam a muitos metros de distância, e é tão forte que os poucos sobreviventes de um encontro com esse bizarro ser relatam que a dor mais parece um choque contìnuo do que propriamente uma queimadura. Esse verdadeiro serial-killer ja matou pelo menos 5.567 pessoas desde que a primeira morte foi registrada em 1954.
    O seu veneno ataca o sistema nervoso, pele, células e pode provocar facilmente uma parada cardíaca. Geralmente as vítimas dessa assassina dos mares morre antes mesmo de chegar em terra firme, isso porque seu veneno lhes causara um choque e a pessoa vai morrer ou afogada ou de insuficiência cardiaca. As poucas pessoas que sobreviveram lembram dela por semanas a fio pois é uma dor que não passa.


    Fonte: worldresources.tripod.com

    domingo, 29 de agosto de 2010

    Os 10 animais mais perigosos e violentos do mundo

    Os dez mais perigosos e os animais mais violentos do mundo. Com imagens de alta qualidade e ranqueado segundo a quantidade de mortes por ano que causam aos humanos. É lógico que esta lista não é definitiva e sempre comporta análises mais elaboradas o que poderia incluir outras espécies, mas é uma relação bem elaborada. Ah, sim, os seres humanos estariam na lista, mas resolvemos não incluí-lo, só consideramos os animais ditos 'irracionais'.

    10. O Urso
    Como seres humanos, partilhamos o nosso mundo, com muitas espécies diferentes e os animais. Vou levá-lo na aventura mostrando os 10 animais mais perigosos do mundo! 10. O urso  pode ser seu melhor amigo e fazer com que você só quiser abraçá-los. Mas na natureza, eles são da mesma forma? Ursos são extremamente perigosas encontrados na natureza. Nem imagine ir ao encontro de um urso no seu habitat selvagem.
    Image via Wikipedia
    Fatalidades por ano: 5 a 10


    9.O Tubarão
    Como crianças, todos nós fomos criados para ter medo de tubarões. Do sangue e dentes nos filmes, nós os odiamos. Bem, os tubarões não são tão maus como eles estão nos filmes, mas eles com certeza são costumam trazer mortes a humanos e acabam levando a fama de assassinos desagradávis.
    Fatalidades por ano: cerca de 100

    8. As Medusas
    As medusas são criaturas extremamente interessante, mas assustadoras. De água-viva grande e chatas, extremamente pequenas.  Ao fazer o contato, os tentáculos da água-viva pode paralisar um ser humano e se manifesta como a parada cardíaca.

    Imagem via Wikipedia


    7. O Hipopótamo
    Encontrados principalmente na África, o hipopótamo é um animal grande impiedoso que vive na água e na terra. Sua boca pode abrir até 4 pés e podem esmagar como uma marreta. Com estas características, ele está na 7º na posição.
    Fatalidades por ano :100-150

    6. O Elefante
    Apesar de sua aparência amigável e inteligência, os elefantes são conhecidos por atacar sem aviso, por vezes, matando tratadores a quem conhecem há 15 anos. Com o seu enorme tamanho e presas, é fácil imaginar por que o elefante chegou à posição 6º posição.
    Fatalidades por ano :300-500





    5. O Crocodilo
    Encontrados principalmente na África e na Austrália, o crocodilo é um dos animais mais mortais do mundo. O crocodilo tem uma incrível velocidade e força de esmagamento de ossos com a mandíbula. Uma refeição que vai durar um tempo para que ele possa aguardar na água feito uma planta até o próximo ataque.
    Fatalidades por ano: 600-800


    4. Grandes Felinos (leões, tigres e jaguares)
    Animais como leões, tigres e jaguares todos caem em 4º lugar. Com velocidades de escandaloso, é certo que vai ser capturado, se você tirar a chance de risco e executar (se você já caiu para essa situação, não se virar e correr um pouco e olhar nos olhos e abra o seu casaco para fazê-lo parecer maior ).
    Fatalidades por ano: cerca de 800

    3. O escorpião
    Embora muito menor do que a maioria das criaturas atrás dela, o escorpião tem uma picada venenosa. O escorpião provavelmente provoca mais mortes do que o registrado devido ao fato de que os ataques ocorrem em locais isolados como é o seu habitat.
    Fatalidades por ano: 800-2000



    2. Cobras Venenosas
    Mais de 450 espécies de serpentes peçonhentas e 250 são capazes de matar um homem ampliando as chances de você encontrar uma cobra para ser extremamente perigoso. Os ataques ocorrem principalmente na África, Ásia e América do Norte. Os seres humanos são uma presa ideal para cobras venenosas, devido à circulação sanguínea. Uma vez injetado com o veneno, ele atravessa todo o corpo.
    Fatalidades por ano :50.000 a 125.000
    FOTO: Cobra rei. Fonte da imagem: mundo rastejante


    E o momento que vocês todos estão esperando ... ....

    1. O Mosquito


    Aposto que você estava esperando o animal mais cruel mais assustador, mas a maior causa de morte em todo o mundo ... é o mosquito. Graças à sua capacidade de propagação de doenças, com uma eficiência assustadora, o mosquito ocupa sobejamente a posição número1. Mais conhecida pela disseminação da malária, os mosquitos também propagar elefantíase, a febre amarela e vírus do Nilo Ocidental e nós brasileiros podemos atestar muito bem, quem não soube de um caso de morte no seu bairro, sua cidade ou mesmo entre amigos e parentes que não tenha sido vítima fatal da famigerada dengue? Pois então, foi uma picada do mosquito Aedes Aegypti.
    Fatalidades por ano: 2 a 3 milhões



    Fonte: scienceray.com (com redação do Jornal dos Bichos)

    Os 10 animais mais perigosos e violentes do mundo

    Os dez mais perigosos e os animais mais violentos do mundo. Com imagens de alta qualidade e ranqueado segundo a quantidade de mortes por ano que causam aos humanos. É lógico que esta lista não é definitiva e sempre comporta análises mais elaboradas o que poderia incluir outras espécies, mas é uma relação bem elaborada. Ah, sim, os seres humanos estariam na lista, mas resolvemos não incluí-lo, só consideramos os animais ditos 'irracionais'.

    10. O Urso
    Como seres humanos, partilhamos o nosso mundo, com muitas espécies diferentes e os animais. Vou levá-lo na aventura mostrando os 10 animais mais perigosos do mundo! 10. O urso  pode ser seu melhor amigo e fazer com que você só quiser abraçá-los. Mas na natureza, eles são da mesma forma? Ursos são extremamente perigosas encontrados na natureza. Nem imagine ir ao encontro de um urso no seu habitat selvagem.
    Image via Wikipedia
    Fatalidades por ano: 5 a 10


    9.O Tubarão
    Como crianças, todos nós fomos criados para ter medo de tubarões. Do sangue e dentes nos filmes, nós os odiamos. Bem, os tubarões não são tão maus como eles estão nos filmes, mas eles com certeza são costumam trazer mortes a humanos e acabam levando a fama de assassinos desagradávis.
    Fatalidades por ano: cerca de 100

    8. As Medusas
    As medusas são criaturas extremamente interessante, mas assustadoras. De água-viva grande e chatas, extremamente pequenas.  Ao fazer o contato, os tentáculos da água-viva pode paralisar um ser humano e se manifesta como a parada cardíaca.

    Imagem via Wikipedia


    7. O Hipopótamo
    Encontrados principalmente na África, o hipopótamo é um animal grande impiedoso que vive na água e na terra. Sua boca pode abrir até 4 pés e podem esmagar como uma marreta. Com estas características, ele está na 7º na posição.
    Fatalidades por ano :100-150

    6. O Elefante
    Apesar de sua aparência amigável e inteligência, os elefantes são conhecidos por atacar sem aviso, por vezes, matando tratadores a quem conhecem há 15 anos. Com o seu enorme tamanho e presas, é fácil imaginar por que o elefante chegou à posição 6º posição.
    Fatalidades por ano :300-500






    5. O Crocodilo
    Encontrados principalmente na África e na Austrália, o crocodilo é um dos animais mais mortais do mundo. O crocodilo tem uma incrível velocidade e força de esmagamento de ossos com a mandíbula. Uma refeição que vai durar um tempo para que ele possa aguardar na água feito uma planta até o próximo ataque.
    Fatalidades por ano: 600-800


    4. Grandes Felinos (leões, tigres e jaguares)
    Animais como leões, tigres e jaguares todos caem em 4º lugar. Com velocidades de escandaloso, é certo que vai ser capturado, se você tirar a chance de risco e executar (se você já caiu para essa situação, não se virar e correr um pouco e olhar nos olhos e abra o seu casaco para fazê-lo parecer maior ).
    Fatalidades por ano: cerca de 800

    3. O escorpião
    Embora muito menor do que a maioria das criaturas atrás dela, o escorpião tem uma picada venenosa. O escorpião provavelmente provoca mais mortes do que o registrado devido ao fato de que os ataques ocorrem em locais isolados como é o seu habitat.
    Fatalidades por ano: 800-2000



    2. Cobras Venenosas
    Mais de 450 espécies de serpentes peçonhentas e 250 são capazes de matar um homem ampliando as chances de você encontrar uma cobra para ser extremamente perigoso. Os ataques ocorrem principalmente na África, Ásia e América do Norte. Os seres humanos são uma presa ideal para cobras venenosas, devido à circulação sanguínea. Uma vez injetado com o veneno, ele atravessa todo o corpo.
    Fatalidades por ano :50.000 a 125.000
    FOTO: Cobra rei. Fonte da imagem: mundo rastejante


    E o momento que vocês todos estão esperando ... ....

    1. O Mosquito


    Aposto que você estava esperando o animal mais cruel mais assustador, mas a maior causa de morte em todo o mundo ... é o mosquito. Graças à sua capacidade de propagação de doenças, com uma eficiência assustadora, o mosquito ocupa sobejamente a posição número1. Mais conhecida pela disseminação da malária, os mosquitos também propagar elefantíase, a febre amarela e vírus do Nilo Ocidental e nós brasileiros podemos atestar muito bem, quem não soube de um caso de morte no seu bairro, sua cidade ou mesmo entre amigos e parentes que não tenha sido vítima fatal da famigerada dengue? Pois então, foi uma picada do mosquito Aedes Aegypti.
    Fatalidades por ano: 2 a 3 milhões

    Fonte: scienceray.com (com redação do Jornal dos Bichos)