segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Botsuana. Turista registra ataque de leoas a crocodilo

Turista registra momento em que leoas matam crocodilo
Réptil tentava atacar filhotes; fotos foram capturadas durante safári na África.
Um crocodilo atacou um filhote de leão, mas três leoas vieram em defesa do filhote. O crocodilo não teve chance de escapar.


BBC

A impressionante luta de um crocodilo com três leoas na savana africana foi capturada por um turista durante um safári.

O episódio começou depois que o réptil tentou atacar os filhotes de leão, mas não conseguiu.

O crocodilo ainda resiste e chega a morder o focinho de um leão.


Após um momento de tensão, leoas atacam crocodilo de forma coordenada (Foto: Solent News )Três leoas cercaram o crocodilo. Depois de um momento de tensão, os felinos atacam o inimigo.

As imagens foram capturadas pelo médico Tony Goldman, 58, durante um safári nas planícies de Duba, em Botsuana.

As fotos mostram o momento em que as leoas desferem sucessivos ataques simultâneos contra o crocodilo.

Mas o crocodilo não é páreo para os leões, e vira almoço da alcateia.

O réptil ainda chega a reagir, desferindo uma mordida em um dos felinos.

Ao final, o crocodilo não é páreo para as leoas, e acaba virando prato para o resto da alcateia.


O leão (Panthera leo) é um dos quatro grandes felinos no gênero Panthera, e um membro da família Felidae. Com alguns machos superior a 250 kg (550 lb) de peso, é o segundo maior gato após o tigre. Leões selvagens existem atualmente na África Subsaariana e na Ásia, com uma população remanescente criticamente ameaçada no Parque Nacional da Floresta de Gir, na Índia, tendo desaparecido do Norte da África e Sudoeste da Ásia em tempos históricos. Até o final do Pleistoceno, a cerca de 10 mil anos atrás, o leão era o mais difundido grande mamífero terrestre depois dos humanos. Eles eram encontrados na maior parte da África, muito da Eurásia, da Europa Ocidental à índia, e na América do Yukon ao Peru.


Leões vivem por volta de 10-14 anos na natureza, enquanto em cativeiro eles podem viver mais de vinte anos. Na natureza, machos raras vezes vivem mais do que dez anos, visto que ferimentos sofridos em combate contínuo com machos rivais reduzem sua longevidade. Originalmente era encontrado na Europa, Ásia e África. Tais felinos possuem coloração variável, entre o amarelo-claro e o marrom-escuro, com as partes inferiores do corpo mais claras, ponta da cauda com um tufo de pêlos negros (que encobrem um esporão córneo, para espantar moscas) e machos com uma longa juba. Há ainda uma raridade genética de leões brancos, que apresentam dificuldades de sobrevivência por se destacarem nas savanas ou selvas, logo, tendo imensas dificuldades de caça. São exclusivos da reserva de Timbavati, localizada no Parque Nacional Kruger, na África do Sul.


Os leões estão muito concentrados atualmente nas savanas reservadas, onde caçam principalmente grandes mamíferos, como antílopes, zebras, javalis; um grupo abate um búfalo-africano entretanto, se o bando estiver faminto pode abater um elefante jovem, na maioria das vezes, e que esteja só. Também é frequente o confronto com hienas, estando estas em bandos ou não, por disputa de território e carcaças.


O leão é apelidado de o "rei dos animais" por se encontrar - em condições naturais e normais - no topo da cadeia alimentar dos animais que habitam em terra seca. Apesar disso, são os felinos mais sociáveis do mundo: um grupo pode possuir até quarenta indivíduos, composto na maioria por fêmeas.

http://www.toprq.com/displayimage.php?album=11&pid=351706#im=0

Um comentário:

  1. NOSSSA!!!!

    MAGNÍFICO!!!

    QUEM ME DERA DAR UM PASSEIO NO SERENGUETO, BOTSUANA E ETC.

    EDSON GOMES
    edson_gomes_28@hotmail.com

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar