quarta-feira, 30 de março de 2011

Gorilas da montanha morrem por vírus transmitido por homens

Pela primeira vez, um vírus que causa doenças respiratórias em humanos foi associado à morte de gorilas da montanha, informa uma equipe de pesquisadores nos Estados Unidos e na África. A descoberta confirma que sérias doenças podem ser transmitidas de pessoas para esses animais ameaçados de extinção, de acordo com reportagem publicada no site "Science Daily".

Os dois gorilas que morreram em 2009 eram uma fêmea adulta e um recém-nascido pertencentes ao grupo Hirwa, que vivia em Ruanda. Em 2008 e 2009, esses animais apresentaram surtos de doenças respiratórias, com diferentes quantidades de tosse, secreção nos olhos e no nariz, e letargia.

Uma série de análises mostrou traços bioquímicos do metapneumovírus (MPV) nos dois animais que morreram. A fêmea morreu em consequência de uma infecção secundária no pulmão, mas o MPV desencadeou uma pneumonia nela. O vírus também foi encontrado no gorila recém-nascido, que nasceu de uma fêmea que apresentou sintomas de doença respiratória.

- Como há menos de 800 gorilas de montanha, cada um é criticamente importante para a sobrevivência da espécie - disse Mike Cranfield, diretor-executivo do Projeto Veterinário Gorilas da Montanha. - Mas esses animais vivem cercados de pessoas, e essa descoberta deixa claro que viver em parques nacionais protegidos não significa estar isolado de doenças humanas.

Humanos e gorilas dividem aproximadamente 98% do DNA. Essa relação genética muito próxima tem gerado preocupação sobre a possibilidade de os gorilas serem suscetíveis a muitas das doenças infecciosas que afetam os homens.

O potencial para transmissão de doenças entre homens e gorilas da montanha (gorilla beringei beringei) inspira preocupações especiais porque nos últimos cem anos aumentou muito seu contato com os homens. Na verdade, os parques nacionais onde os gorilas são protegidos em Ruanda, Uganda e na República Democrática do Congo são cercados pelas populações humanas mais densas da África.

Além disso, o turismo para ver esses animais, ao mesmo tempo em que atrai fundos para os parques nacionais, leva milhares de pessoas de todo o mundo a esses locais. Doenças infecciosas são a segunda causa de morte mais comum entre os gorilas da montanha. Lesões são a primeira.

- O tipo de infecção mais frequente é a respiratória, que pode causar de um resfriado a uma pneumonia severa - disse Linda Lowenstine, coautora do estudo e que analisa esses animais há mais de 25 anos.

Os cientistas fazem parte de um projeto de veterinária para esses animais, o Centro de Saúde de Vida Selvagem, da Universidade da Califórnia, do Centro para Infecção e Imunidade da Universidade de Columbia, e do Conselho de Desenvolvimento de Ruanda. O estudo foi publicado online pelo jornal "Emerging Infectious Diseases", uma publicação do Centro americanos de Controle de Prevenção de Doenças.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar