sábado, 9 de abril de 2011

Floresta tropical: Top 10 Aves Mais Surpreendentes

1. Harpia. Seu nome científico é Harpia harpyja. A Harpia, também conhecida como Gavião-real, é a maior ave de rapina do Brasil e do mundo. Além de maior, é considerada uma das mais interessantes e raras aves, pois vive solitária, exceto na época de acasalamento, e exige uma extensa área para sobreviver( cerca de 50 km2 de floresta para cada ave ).

A Harpia vive em montanhas, nas margens de rios e lagos, e até mesmo à beira-mar. Sua localização vai do sul da América Central até o Paraguai, com preferência das áreas tropicais. No Brasil, ainda hoje, essa espécie é encontrada na Amazônia, nos Estados do Paraná e Rio Grande do Sul, além de algumas florestas da Mata Atlântica. Seus hábitos são diurnos e o comportamento classificado como sedentário.

A predileção alimentar da harpia abrange desde moluscos, crustáceos e peixes até serpentes, lagartos, alguns pássaros e alguns mamíferos, como a preguiça (seu alimento favorito). A Harpia é a principal inimiga dos psitacídeos (Araras, cacatuas e papagaios).

A harpia pode atingir 1,15m de comprimento e 2,5m de envergadura. Seu peso varia de 4,5 a 10 quilos. Possui uma plumagem densa nas costas e macia no lado ventral. Os tarsos são grossos e não emplumados. As pernas são curtas, e os pés e garras suficientemente fortes para permitir à ave carregar mamíferos pesados. A cor predominante é o cinza e o seu grande topete é responsável pela denominação de gavião-real. A ave adulta apresenta um “colar” preto de penas no pescoço.

A característica principal – também presente em todas as aves de rapina diurnas – é a profundidade da visão. O poder de resolução da vista do gavião chega a ser oito vezes mais potente que o do homem. Mas, como nem tudo é perfeito, a mobilidade do olho na órbita é reduzida, o que obriga a ave a virar constantemente a cabeça para adquirir noção do conjunto.

A harpia é monógamo e de pouca sociabilidade. Também apresenta dimorfismo, isto é, a fêmea é maior que o macho. Aliás, entre águias, falcões e gaviões, o dimorfismo normalmente é mais acentuado quanto mais ferozes e agressivas forem as espécies. Geralmente solitário e diurno, a harpia voa bem entre 50 e 100 metros acima das copas das árvores e plana bastante. Tanto em ataques como para chamar a atenção do sexo oposto, as aves escancaram as asas, estendem os artelhos, levantam a crista e eriçam as penas. Muitos acipitrídeos executam verdadeiras acrobacias no ar. Para os solteiros, o balé aéreo serve como artifício de sedução e, para os acasalados, fortalecimento do elo de união.


A nidificação é bastante variada, desde plataformas de gravetos em árvores ou rochedos, até mesmo no chão duro. De dois ovos, apenas um filhote nasce após 56 dias de incubação realizada pela fêmea. Quando este rompe a casca, a fêmea que então cuidava do ovo e do ninho sai para exercitar-se e caçar, enquanto o macho cuida do filhote e afasta possíveis intrusos do local. Os filhotes chegam a ficar de quatro a cinco meses no ninho exercitando as asas e fortalecendo a musculatura. Ainda por dois anos, após deixarem os ninhos, dependem muito dos pais, quando começa o aprendizado de caça. A maturidade chega entre oito e dez anos.

Embora seja fácil sua adaptação, dificilmente conseguem reproduzir-se em cativeiro. O zôo melhor sucedido é o de Berlim, na Alemanha, onde são realizadas reproduções a cada dois anos.

A família da harpia ( acipitrídeos ) é a mais complexa de todas. Há uma grande variedade de formatos e dimensões, onde estão inclusas as várias espécies de gaviões. São 208 tipos no mundo, sendo 90 brasileiros. A águia é uma das mais versáteis e ágeis da família, chega a pesar sete quilos e exibe envergadura de tamanho igual ao da harpia: 2,5 m. Ao contrário da crença popular, nem todos os gaviões são carnívoros, há os insetívoros e até mesmo os vegetarianos.

Topo da cadeia alimentar, a harpia não tem nenhum inimigo natural. Seu único predador é o homem. É justamente a capacidade humana de destruir fatias imensas de matas, eliminar santuários selvagens e empobrecer o espectro da fauna que colocou em evidência e trouxe para o foco da ciência esse animal típico da mata fechada, tradicionalmente oculto e protegido, e agora em processo de extinção.

2. Casuar, uma ave da Oceania que pode passar de 1,5 metro de altura e pesar cerca de 60 quilos. Ele tem um gênio terrível e, quando fica zangado, parte com tudo para cima do seu oponente. Suas principais armas são o bico afiado e as garras pontiagudas.

Existem vários relatos de pessoas atacadas pelo animal em estado de fúria, que também investe contra cachorros, cavalos e vacas.

Essa ave é tão estressada que parte pra cima até de portas e janelas de vidro, pois ao ver seu reflexo acha que um outro casuar a está encarando.

"A maioria dos ataques costuma estar associada à busca de comida ou a uma reação à presença do homem no território do animal", afirma o paleontólogo Darren Naish, da Universidade de Portsmouth, na Inglaterra. No final da década de 1990, um levantamento feito na Austrália mostrou que, num período de dez anos, essas aves partiram pra cima de pelo menos 150 pessoas.

O último ataque fatal comprovado, no entanto, ocorreu em 1926. Ótimo nadador e exímio saltador, o casuar (Casuarius casuarius) tem uma aparência bem esquisitona: seu corpo é recoberto de penas pretas, mas sua cabeça é azulada, exibindo ainda uma protuberante crista óssea.

3. Estorninho roxo brilhante. Nomes comuns: estorninho-roxo brilhante; Estorninho-Metálico-púrpura; choucador Pourpre (fr) ; estornino purpureo (es); purpurglanzstar (DE)

Taxonomia:
Ordem Passeriformes
Família Sturnidae

Esta espécie é encontrada Africano do Senegal e do Zaire leste do Sudão e do Quénia ocidental.

Tamanho:
São 22-27 cm de comprimento e pesar 140 g.

Habitat:
Eles são normalmente encontrados em florestas abertas, savanas, cerrado e áreas cultivadas.

Dieta:
O estorninho-violeta brilhante é onívora, tendo em frutas, bagas, sementes e diversos invertebrados.

Reprodução:
Estes ninhos em buracos de árvores, onde a fêmea põe 2-4 ovos que ela incuba sozinha por 12-14 dias. Ambos alimentam machos e fêmeas dos filhotes até fledging, que ocorre 19-22 dias após a eclosão. Os filhotes podem continuar a ser alimentados pelos pais por mais 2 semanas.

Conservação:
status IUCN - LC (Pouco preocupante)
Esta espécie tem uma grande bre muito Eding intervalo e, embora o tamanho da população global não foi quantificado, a espécie é descrita como comum e geralmente abundante. A população é suspeito de ser estáveis ​​na ausência de evidência de qualquer queda ou ameaças substanciais, pelo que esta espécie não está ameaçada no presente.

4. Tucano Swainson ou tucano de bico castanho é a segunda maior das 42 espécies de tucanos conhecidas. Eles são comumente encontrados de Honduras na América Central, na Colômbia na América do Sul. Estas aves arborícolas, que estão relacionados com os pica-paus têm um bico de grandes dimensões que é surpreendentemente muito leve devido ao fato de que ela contém muitas cavidades de ar.

Sua dieta consiste principalmente de frutos, mas durante a época de nidificação, quando mais proteína é necessária para alimentar os mais novos, insetos, lagartos, ovos e filhotes de outras aves são consumidos. Eles vão colocar 3-4 ovos em buracos profundos cavados nAS palmeiras ocas. Tanto a mãe como o pai se revezam NA incubação dos ovos. Esses tucanos têm quatro dedos - dois virados para a frente e 2 de frente para trás.

Com certeza o Tucano é um daqueles animais que não conseguiria passar sem chamar a atenção mesmo que quisesse. É muito bico pra ser desconsiderado.


Além desse grandioso bico, que chega a 1/3 do seu corpo, o Tucano também chama a atenção com suas cores variadas e modo agitado de ser, sempre em bandos. São mais de 40 espécies que vivem pela América Central e do Sul, sendo a Colômbia o país onde encontra-se a maior variedade.


Algumas curiosidades que os tornam ainda mais interessantes:
- O bico apesar de imponente, não é considerado perigoso nem pesado, aliás é motivo de estudo pois é muito leve para o tamanho e não atrapalha em nada o dia a dia do Tucano.
- Na hora de dormir, o Tucano gira a cabeça e acomoda o bico literalmente nas costas e cobre o peito com sua calda. Uma verdadeira manobra “aconchegante” para descansar.
- Adoram chuva e costumam festejar quando da oportunidade.
- Uma pequena diferença no tamanho e formato do bico serve para distinguir machos e fêmeas. O macho possui o bico ligeiramente maior e mais retilíneo, enquanto as parceiras os tem um pouco mais curvado.
- Fazem (ou ocupam) ninhos em buracos nas árvores, como seus parentes os Pica Paus. Ambos são zigodactilos, ou seja, possuem 2 dedos direcionados para frente e dois para trás, o que os ajuda a agarrar bem aos galhos.
- São monogâmicos. Após formar um casal, ficam juntos para sempre.
- Tucanos bocejam quando tem sono.


Porém a curiosidade que mais chama a atenção é também a que maior valor científico tem. Pesquisas feitas aqui mesmo no Brasil (parque ecológico de Americana – SP), revelaram uma função no mínimo inteligente para os dias de calor intenso. O bico “desproporcional” dos tucanos, além de ser sinal de alerta a predadores e ferramenta muito útil na alimentação, também tem papel fundamental na dissipação de calor. Isso mesmo, o bico do Tucano trabalha como um radiador nos automóveis. Por ser ricamente vascularizado, o sangue é liberado para o bico quando a ave necessita resfriar seu corpo, e inversamente proporcional, diminui o fluxo para o bico quando necessita aquecimento corporal.
Nada na natureza é por acaso.


Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Piciformes
Família: Ramphastidae
Gêneros: Andigena, Aulacorhynchus, Baillonius, Pterogiossus, Ramphastos, Selenidera.


Alimentação: Basicamente Frutas, Sementes, Insetos, Lagartos e Lagartixas, Pererecas, Ovos e até pequenos filhotes de outras aves.
Ovos: 2 a 4
Incubação: +- 18 dias
Habitat: Áreas tropicais, da América do Sul até o México.
Tamanho: de +- 33cm Araçari até +- 65cm Tucano Toco ou Tucanuçu.


Felizmente o Tucano não está na lista de espécies ameaçadas de extinção. O que é muito bom saber. Por outro lado não significa que não seja caçado para comércio. Como centenas de outras belas aves Brasileiras, existe sim um comércio ilegal para o Tucano.


Fica aqui o apelo em nome da natureza: Bicho legal é bicho em seu habitat, a mãe natureza.

5. Periquito vermelho ( loris ou Red Lorikeet como são chamados na Austrália ) é um ave mais comumente mantida em cativeiro, e é fácil entender o porquê. Este pássaro muito inteligente tem uma personalidade lúdica e uma aparência bonita, um apelo para apreciadores. Loris vermelhos são como uma  profunda romã vermelha com manchas azuis nas asas e na cabeça. Eles variam em tamanho de dez a doze polegadas e tem um bico laranja.



Quando você ver um loris, provável que você pense em um pequeno papagaio. Estas aves são poderosamente construído a partir da família do papagaio. A característica mais marcante é a estrutura física de suas línguas, que têm papilas longas. Estes formam uma U-forma na ponta da língua, e são erguidos quando a língua está totalmente dilatado. Esta língua pincel é especializada em coletar pólen das flores.

Loris também têm uma estrutura de bico única: A mandíbula superior é muito mais estreito e tem uma ponta mais aguçado do que os outros membros da família do papagaio.

Enquanto loris pode ficar muito alto, geralmente pela manhã logo após o nascer do sol e à noite antes que as luzes são desligadas, eles raramente gritam. Durante os períodos ruidosos eles podem rivalizar os periquitos da amazonas na consistência e qualidade de sua produção de ruído. No entanto, geralmente se divertem com suaves murmúrios, trinados e assobios. Loris Vermelhos tem sido conhecido por ser bons faladores e alguns têm frases inteiras em seu vocabulário. Todos os loris são mestre na imita sons como toque de telefones, sirenes, microondas emite um sinal sonoro, torneiras pingando e tal. Eles vão reproduzir esses sons com uma precisão incrível.

Estas aves são muito inteligente e ativas. Eles podem ser às vezes aves temperamentais -, eles podem se pendurar de cabeça para baixo, o que é muito divertido de assistir.

O tempo de vida do lory vermelho de 15 a 30 anos se cuidou corretamente.

Habitação

As fezes de loris são mais líquidos do que a maioria dos papagaios e são excretados na forma de projéteis tornando-os confusa e inadequada para dentro da habitação. Eles prosperam em viveiros externos.

Ao escolher uma gaiola para seu lory, tenha em mente que a largura é mais benéfico do que a altura. Pássaros devem ser capazes de abrir as asas e ainda ter espaço para seus brinquedos. Sua gaiola deve ser pelo menos 18 centímetros por 18 centímetros por 22 centímetros de altura. A gaiola também deve ser fácil de limpar, na verdade, é melhor se ele pode ser lavado por baixo.

Porque serem aves muito inteligentes, eles necessitam de um ambiente estimulante, com brinquedos diversos. Um saco de papel ou um rolo de papel higiênico vazio são tão divertido para eles como um brinquedo comprado. Eles também desfrutam de uma variedade de brinquedos como sinos, blocos de madeira, balanços e espelhos.

Soltos na natureza os loris dormem em seus ninhos durante todo o ano.

Os poleiros são uma parte essencial da gaiola e deve ser escolhido de acordo com os pés da ave. Uma variedade de formas e tamanhos, ajudam a exercitar os pés e os poleiros devem ser colocados estrategicamente para evitar que fezes contaminem os alimentos e água.

Tenha sempre um osso de choco, visto ser muito rico em cálcio e, por isso, os periquitos devem ter acesso a esta fonte de cálcio ou minerais disponíveis para fornecer cálcio durante todo o ano, com principal importância durante a reprodução e também para prevenir o crescimento excessivo do bico.

Alimentação

Na natureza, os loris têm uma dieta variada de pólen, néctar, frutos, bagas, sementes, brotos de folhas e insetos. Em casa, a dieta ideal para loris é uma ração peletizada, mas também deve ser complementada com frutas frescas e vegetais para adicionar variedade e um néctar lory comercial. Tente oferecer picado vegetais verde-escuros e amarelos e uma variedade de frutas frescas, bem como alimentos ricos em proteína, como legumes maduros, duro ovo cozido picado e queijo ralado. loris Muitos desfrutar de um tratamento a partir da mesa de jantar, como massas, batatas e arroz.

Evite alface, repolho e tomate, pois estes podem causar diarréia, a cafeína contida no chocolate e refrigerantes; abacate, que podem ser venenosas, e alimentos ricos em ferro a partir de um de origem animal, tais como pedaços de carne.

Cuidados Gerais

Rotina de banho ou duche é vital para a manutenção de boa plumagem e condição da pele. As aves podem ser aspergidas e deixada para secar em um quarto quente ou ao sol. Eles gostam de tomar banho em uma tigela ou um banho do pássaro.

Loris são insetos tão bom manter suas penas de voo cortadas o suficiente para que eles não vão voar, mas vai deslizar para o chão.

Reprodução

Embora loris geralmente se dão bem com outras espécies de pássaros, eles são muito territoriais e também pode se tornar bastante ciumento. aos pares irá defender seu território e têm sido conhecidos por matar outras aves presentes em seus viveiros. pares reprodutores nunca devem ser mantidos em vôos mistos de espécies.

As caixas-ninho pode ser um log natural ou um tipo de caixa de homem, pendurado verticalmente ou horizontalmente. Loris apreciar de segurança para que o buraco na caixa não deve ultrapassar duas polegadas. Uma porta de inspeção devem ser incluídos.

A embreagem é composta de cerca de cinco oval ovos brancos. Estes são incubados pela fêmea e eclodem após cerca de 21 dias. Embora o macho não incubam os ovos, ele passa muito tempo no ninho, com seu companheiro e ações na alimentação dos filhotes. O macho tende a ser mais vocal e muito possessivo de sua companheira, seu aviário e seu ninho.

Filhotes recém-eclodidos são cobertos com penugem  branca  na parte superior de seus corpos, mas são escassamente cobertos em outras áreas. O bico é marrom escuro. Filhotes saem do ninho em cerca de cinco semanas, mas ficar com os pais há vários meses já.

6. O pavão (Pavo cristatus), também conhecido como Pavão da Índia, pavão de de peito azul, é uma espécie de ave Galliforme da família Phasianidae , uma das duas espécies do gênero Pavo , que desde os tempos antigos se entre os admirado animais pelos humanos devido à policromia extraordinária variedade é a cauda dos machos.

O pavão é uma espécie com forte dimorfismo sexual (diferenças bem aparentes entre o macho e a fêmea). Ele mora a cerca de 15 anos, embora os casos são conhecidos espécimes em cativeiro que viveu mais de 20 anos.

O Macho
Armado com um bico forte, sua cabeça está coberta com penas azuis brilhantes e encimado por uma crista de penas. O macho da espécie atinge um comprimento de 2,2 m e pesar até 5 kg : a cor da plumagem azul com verde destaques é usado pelos machos para defender seu território, bem como recebendo para atrair a fêmea para acasalamento . Tem também abrigos de até 2 m de comprimento, que, quando implantado, formam um conjunto majestoso repleto de ocelos em tons de dourado, azul e verde.

Pavão macho com plumagem completa exibida
Restringe o escopo é a "cauda", ou as asas da cor do animal-acastanhada nas costas e os abrigos, mas passa despercebido pela magnificência da pluma mostrado. O macho pode abri-lo a partir de três anos de idade e os abrigos são renovados anualmente. Por esta razão, durante o Outono os machos são privadas da sua decoração luxuosa.

Fêmea de pavão.
A fêmea, entretanto, tem até 1 m de comprimento e 3 kg de peso. Sua plumagem é cinza, branco no pescoço e no peito reflexos verdes. A pluma é pequeno, marrom.

Após a temporada de acasalamento, que ocorre na natureza durante o mês de julho, a fêmea bota de 1-3 ovos, dependendo do que ano é frutífera. Seu ninho é um buraco feito no chão, sem cobertura vegetal no solo arenoso. A incubação dura 28 dias durante o qual a fêmea no buraco-montado, quase sem sair.

7. Tucano-Toco (Ramphastos toco) também conhecido por Tucançu ou Tucano Boi, é o maior de todos os Tucanos, com um comprimento de 56 cm. O corpo é predominantemente preto, com garganta branca, ventre vermelho e patas azuis. O bico, alaranjado, com uma mancha negra na ponta, é quase do tamanho do corpo, embora não seja pesado, pois é formado por uma estrutura óssea não maciça e areada que lembra um favo de mel. Isso torna o bico mais leve e portanto não dificulta o vôo. Apesar de não ser maciço, o bico é bastante resistente. O bico é a sua principal arma para colher frutos, sementes e destruir os ninhos dos guaxos, pendentes das árvores, para devorar-lhes os filhotes.

É o menos sociável dos Tucanos. Vive em pequenos grupos e frequentemente é visto aos pares.

Entre os seus inimigos estão os macacos e os gaviões-de-penacho.

Este tucano é o terceiro maior da sua família. No Brasil também é conhecido por Tucano-grande-de-papo-branco. O seu bico comprido é útil não só para apanhar as bagas mas também serve atrair a atenção das fêmeas, bem como, afugentar predadores e manter o território. Embora pareça pesado, o bico é muito leve e oco por dentro. É uma espécie que não se encontra globalmente ameaçada embora com uma área de distribuição muito restrita.


Tucano-Toco (Ramphastos toco)

Tamanho

- aproximadamente 56 cm, pesando 540 gramas.

Distribuição

- região amazónica ao Paraguai, Argentina, Bolívia e sul do Brasil, excepto o Litoral.

Habitat

- vive em áreas abertas, como bosques, florestas de rios, plantações e palmeirais.

Alimentação

- é um animal omnívoro, alimenta-se de insectos, lagartos, ovos, filhotes de outros pássaros e, principalmente, frutas. O seu hábito alimentar é diurno.

Reprodução

- a reprodução ocorre no final da primavera e a fêmea põe de 2 a 4 ovos em ninhos localizados no alto dos troncos das árvores. O casal se reveza na tarefa de chocar os ovos, os quais eclodem entre 16 e 20 dias. Quando nascem, sua aparência é desproporcional; seu bico é grande e o corpo, pequeno; os olhos só abrem após três semanas e os pais cuidam de seus filhotes até eles saírem dos ninhos, o que ocorre em seis semanas. A coloração do bico só é definida meses após o nascimento.

Status

- ainda não é uma espécie ameaçada de extinção, entretanto tem sido capturado e traficado para outros países a fim de ser vendido em lojas de animais. Isto tem como conseqüência a diminuição de sua população nas florestas, pondo em risco a variabilidade genética, como também a morte de muitos animais durante o transporte.

8.  Arara-vermelha (Ara macao) é uma grande e colorida arara .  É nativa das florestas úmidas de folhas perenes dos trópicos da América. Numa faixa que se estende do extremo sudeste do México para a
amazônica do Peru , Bolívia e Brasil em terras baixas de até 500 m (1.640 pés) (pelo menos antigamente) até 1.000 m (3.281 pés). Ele sofreu extinção local por meio de destruição do habitat e captura para o comércio de papagaios , mas localmente permanece bastante comum. Anteriormente ela variava de norte a sul de Tamaulipas . Ela ainda pode ser encontrada na ilha de Coiba . Ele é o pássaro nacional de Honduras .

A Arara-vermelha-grande mede de 73 a 95 cm de comprimento, e pesa até 1,5 kg. Ela se chama vermelha, mas é colorida. Tudo bem que a cor que lhe dá o nome é predominante, mas ainda tem as asas azuis com uma faixa verde. Por causa deste detalhe, inclusive, é também conhecida como arara-verde.

Monogâmica, quando forma um casal, esta união é para sempre. Uma característica da família dos Psittacídeos. Quando têm filhotes, macho e fêmea cuidam de aumentar os buracos que fazem em troncos ocos de palmeiras ou em paredões rochosos, como forma de protegê-los dos predadores naturais - leia-se tucanos, macacos e cobras.

Mas hoje, a própria devastação das florestas e a retirada de indivíduos de seu habitat (para tráfico e comércio ilegal), também se configura uma ameaça à sua sobrevivência. Tanto que a arara-vermelha-grande já está desaparecida de partes extensas de sua área de distribuição.

Um hábito curioso desta ave é o fato de ela se alimentar de terra e barro (normalmente ricos em minerais). A explicação mais recorrente é que elas fazem isso para neutralizar as toxinas que ingerem quando consomem frutas verdes. A arara-vermelha grande pode viver 60 anos.

9. Flamingos são aves muito belas de longas pernas e plumas coloridas que podem ir desde tons claros como o branco até tons mais fortes como o laranja e o rosa, as variações ocorrem mas são discretas. Suas pernas também são levemente coloridas em tons de vermelho. Existem lindas Fotos Flamingos que demonstram muito bem a variação das tonalidades, além disso a imagem dos flamingos é muito utilizada para cenários de romances, pois um casal destas belas Aves com seus longos pescoços forma a imagem de um coração, é a natureza em seu esplendor nos ofertando Cenas Incríveis De Animais em seu habitat. Não são animais que falam mas são incríveis por seus hábitos.

Estas aves são comuns em Portugal, especialmente em regiões centrais e ao sul daquele país. Eles também existem no Sul Europeu e no Norte Africano. Observar Flamingos em seu habitat natural requer muito cuidado, paciência e silencio, ao menor ruído os grandes bandos iniciam uma marcha e logo a seguir correm para alçar vôo em busca de locais onde possam se sentir seguras, pois facilmente se sentem ameaçados.

Flamingo Rosa
A exemplo de muitas outras espécies de aves os Flamingos também migram em busca de locais mais adequados para a sua sobrevivência, procuram lugares onde os dias são mais longos, quando acontece a primavera eles voltam aos locais de origem. Eles preferem os locais em que as águas são mais rasas e a razão para isso se refere a seus hábitos alimentares, Flamingos comem algas, Insetos, pequenos crustáceos, larvas, etc., todos habitantes de águas pouco profundas, barrentas e também povoadas por uma espécie bastante corriqueira que é o Sapo. Quanto a reprodução, são as fêmeas que se ocupam da tarefa de construir o ninho em locais altos, assim como a águia real, que esteja a salvo das inundações, tendo em vista a segurança dos filhotes, este ninho deve acolher dois ovos que demoram cerca de 28 a 30 dias para eclodir. Os cuidados com a nova prole competem tanto a fêmea, que é um pouco menor, quanto ao macho, ambos devem alimentar os filhotes que nascem com uma cor cinzenta.

Estas belas Aves atingem um tamanho de até 1,2 m em sua altura, e um peso que gira em torno de aproximadamente 12 kg. Os bandos de flamingos apresentam atividades tanto noturnas quanto diurnas, ao atingirem cerca de três anos de vida é que a sua plumagem pode ser considerada a de um flamingo adulto, ou seja, a cor já estará definida, depois disso a plumagem pode se renovar, mas a cor não varia. Os bandos tem um andar elegante e é especialmente interessante ver o seu modo de caminhar, eles mantém um ritmo cadenciado, todos com passos longos e movimentos de cabeça muito semelhantes, sempre alinhados. O vôo de um Flamingo, dos bandos, também obedece a critérios como a formação, que é em V, todos mantém uma postura exemplar com pernas e pescoço bem estendidos, muito elegantes.



10. O Pombo cor-de-rosa (Nesoenas Mayer), às vezes chamado pombo do mar, é uma espécie de ave da família Columbidae endêmica das Ilhas Maurício no Oceano Índico , por vezes classificado no gênero Columba e Streptopelia.

Descrição

A ave tem uma cor rosa pálido penas na cabeça, no papo e costas superior. Seu bico e pés também são cor de rosa. A cor das asas do macho é marrom escuro e uma ampla cauda avermelhada. A fêmea tem uma plumagem mais baça. Os olhos são castanho escuro e fica em uma pequena área vermelha da pele nua. A ponta do bico é decorada com uma mancha amarela.

Um adulto tem o comprimento de 36 a 40 centímetros do bico à cauda e pesa 290-350 gramas.

Inicialmente classificado como 0 mais comum pombos, o pombo cor-de-rosa foi reclassificada como um gênero moderno por Tommaso Salvadori . A análise do DNA recentes sugerem que o seu vizinho mais próximo na árvore filogenética é picturata Streptopelia , encontrado em Madagascar. Por conseguinte, este último o pássaro foi transferido para o gênero Streptopelia .
Um congresso International de Ornitologia o realocou no Nesoenas gênero.

Distribuição, habitat e demografia

Não há mais pombo cor-de-rosa nas Ilhas Maurício, tendo desaparecido da vizinha ilha de Reunião . Ele vive em especial sobre a ilha do Garças , dependência das Ilhas Mauríciao a uma pequena distância da costa da ilha principal. Por isso, existem pessoas interessantes no sudoeste.

The Pigeon adora rosa nuvem evergreen florestas. A destruição dessas florestas, incluindo ciclones é a principal razão para o declínio na população total: 23 aves em 1976, 15 em 1979 para apenas 10 em 1981 .
Desde então, o pombo cor-de-rosa foi salva pelos esforços de Gerald Durrell e do Durrell Wildlife Conservation Trust , mobilizados desde a década de 1960 . A reintrodução de animais nascidos em cativeiro tem ajudado a promover a população a 150 aves em 1987 e 350 em 2001 . É predominantemente do sexo masculino, o último desfrutar de uma maior expectativa de vida do que as fêmeas de cinco anos, uma média alta é de 17 a 18.

Em qualquer caso, a IUCN recentemente rebaixou o status da espécie de pombo cor-de-rosa em perigo crítico de extinção de espécies ameaçadas.

Comportamento

Pombos cor-de-rosa buscam alimentos em pequenos grupos.

O Pombo-de-rosa se alimenta da flora e consome os botões florais, flores, folhas, frutos e sementes. Espécies vegetais importados, como goiaba da China , infelizmente, é uma ameaça à flora.

Reprodução
A época de acasalamento começa em agosto - setembro e termina em março . O macho tenta seduzir a fêmea através de uma abordagem que termina com um arco curvado para trás.
O pássaro forma casais monogâmicos e, juntos, constroem um ninho frágil e o guardam, mesmo que nunca tiveram qualquer predadores naturais além dos humanos.

A fêmea geralmente coloca dois ovos brancos no o período de incubação que dura duas semanas. O macho cuida durante o dia e a fêmea à noite e ao amanhecer. Mantém-se fértil até a idade de 10 ou 11 anos, o sexo macho até os 17 ou 18 anos.

A primeira semana os jovens têm os olhos fechados e são alimentados apenas pelo leite de pombo . Os próximos três dias, o seu consumo está gradualmente se tornando completamente sólida. Eles usam suas penas de sua segunda semana, mas ainda são alimentados pelos pais até o quarto. O ninho é abandonado ao redor da sexta ou sétima semana.




A floresta tropical é uma floresta de árvores de grande porte em uma região tomada de durante todo ano. tendo uma temperatura entre 20° C e 34° C. A Umidade elevada em função do alto índice pluviométrico (média de 1300 mm de chuvas por ano).

As florestas tropicais pertencem ao grupo de clima tropical úmido. A umidade média é entre 77 e 88%. Geralmente, há uma breve temporada de poucas chuvas. Em áreas de monções, existe uma estação seca real. Quase todas as florestas tropicais se encontram perto do equador.


As florestas tropicais cobrem menos de 6% da superfície terrestre da Terra. Os cientistas estimam que mais de metade da população mundial de todas as plantas e de todas as espécies de animais vivem em florestas tropicais. As florestas tropicais produzem 40% do oxigênio da Terra.

As florestas tropicais tem mais tipos de árvores do que em qualquer outra área do mundo. Cientistas contam com cerca de 100-300 espécies em um 1/2-acre 2 (1 hectare) de área na América do Sul. Setenta por cento das plantas na floresta são as árvores.

Cerca de um quarto de todos os medicamentos que usamos vêm de plantas das florestas tropicais. Curare vem de uma trepadeira tropical, e é usado como anestésico e para relaxar os músculos durante a cirurgia. Quinina, extraída da árvore de cinchona, é usado para tratar a malária. Uma pessoa com leucemia linfocítica tem uma probabilidade de 99% que a doença possa entrar em remissão por causa da pervinca rósea. Mais de 1.400 variedades de plantas tropicais são usadas​​para a cura potencial para o câncer.

Todas as florestas tropicais se assemelham em alguns aspectos. Muitas das árvores têm troncos retos que não se ramificam até a altura média de 50 metros, que só se ramificam perto do topo formando um “teto”, sob o qual existe um “andar” interno formado pelas copas mais baixas. A estratificação resultante dos vários andares de vegetação origina diversos microclimas, com diferentes graus de luminosidade e umidade. As folhas são elevadas, densas e não caem (perenifólias – duradouras). Geralmente as folhas são amplas, largas (latifoliadas) e de cor verde-escura, com superfícies ventrais brilhantes, lisas e com as pontas em forma de goteira, facilitando o fluxo de água.

Não há sentido em ramos que crescem abaixo da copa, onde há pouca luz. A maioria das árvores são lisas, casca fina, porque não há necessidade de protegê-las da perda de água e temperaturas congelantes. Isso também torna difícil para as epífitas e parasitas de plantas para obter um porão nos troncos. A casca de diferentes espécies é tão semelhantes que é difícil identificar uma árvore por sua casca. Muitas árvores só podem ser identificados por suas flores.

As raizes são superficiais e os troncos costumam ser largos perto da base, de modo que fornecem fixação ampla e firme. Há numerosas trepadeiras lenhosas, cipós e epífitas (plantas que usam tronco das árvores como superfície de apoio). As epífitas podem obter água e minerais diretamente do ar úmido da folhagem. Muitas possuem as folhas em forma de taça que capturam a umidade e restos orgânicos, algumas possuem raizes esponjosas. Certas epífitas absorvem nutrientes de organismos em decomposição nesses reservatórios. Muitos tipos de plantas como samambaias, orquídeas, musgos e líquens, exploram esse tipo de vida.

Uma grande variedade de palmeiras, cicadáceas, e samambaias, algumas das quais com 20 m ou mais de altura, crescem abaixo da folhagem. Pouca luz alcança o chão da floresta. Não há quase acúmulo de folhas, ao contrário do que ocorre nas florestas do hemisfério norte, pois, a decomposição é muito rápida. Qualquer coisa que toque o solo desaparece, é trasportada, consumida e decomposta rapidamente.

Apesar dessas diferenças, cada uma dos três maiores florestas tropicais - a americana, a Africana, e as asiáticas - têm um grupo diferente de espécies vegetais e animais. Cada floresta tem muitas espécies de macacos, que diferem das outras espécies das outras duas florestas tropicais. Além disso, diferentes áreas da floresta tropical podem ter mesmo espécies diferentes. Muitos tipos de árvores que crescem nas montanhas da floresta amazônica não cresce nas planícies dessa mesma floresta.

Há florestas tropicais no norte da América do Sul (bacia Amazônica), América Central, África, Austrália e no sul Ásia.

Bromélias e Tucanos são alguns exemplos de flora e fauna de uma floresta tropical.

Fauna
Uma variedade de insetos, aves e outros animais ocupa os topos das árvores, com eles as trepadeiras e as epífitas, isso constitui a parte mais abundante e diversificada da floresta tropical.

Os mamíferos tem por característica aparecer em ambiente noturno ou habitam as árvores, como macacos e esquilos. Algumas espécies de répteis e anfíbios tem características arborícolas (habitam as árvores). No solo também vivem anfíbios, répteis, mamíferos herbíviros e mamíferos carnívoros (onças, gatos-do-mato etc.).

Solo
Os solos das florestas tropicais são geralmente pouco férteis. Muitos são constiuidos de argila vermelha, esses solos são chamados lateritas. Quando o solo laterítico é desmatado, sofre erosão rápida ou forma crostas espessas, impenetráveis que não podem ser cultivadas depois de uma ou duas estações. De regra, os solos são deficientes em minerais. A maior parte de nitrogênio, fósforo, cálcio e de outros nutrientes que ao invés de ficarem no solo, fixam-se nas plantas. Devido a deficiência desses nutrientes os solos das florestas tropicais são pobres para a agricultura.

Devido a pouca cobertura vegetal e as constantes reciclagens dos elementos químicos do solo, os nutrientes minerais são carregados pelas chuvas, em um processo chamado de lixiviação.


Características das Florestas Tropicais

- Biodiversidade riquíssima com grande quantidade de espécies vegetais e animais. Muitas destas espécies são ainda desconhecidas do ser humano.

- Solo com cobertura de húmus (de 30 a 50 cm), proveniente da decomposição de folhas, frutos, fezes e cadáveres de animais mortos.

- Grande presença de sombra, pois as árvores encontram-se muito próximas umas das outras. Estas árvores possuem, em média, de 30 a 50 metros de altura.

- Umidade elevada em função do alto índice pluviométrico (média de 1300 mm de chuvas por ano);

- Calor quase o ano todo, com temperaturas médias anuais de 20° C.

Curiosidades

- Mamíferos típicos de florestas tropicais: mico-leão-dourado, orangotango, macaco-aranha, onça-pintada, capivara, lontra, porco do mato, paca, tamanduá-bandeira.

- Insetos típicos de florestas tropicais: gafanhoto, borboleta, mosca-dragão, besouros, grilo.

- Pássaros típicos de florestas tropicais: papagaio, cegonha, arara, pica-pau, tucano, pombo, pavão, mutum-preto, garça.

- Comemora-se em 17 de julho o Dia de Proteção às Florestas.

3 comentários:

  1. isso me faz pensar o quanto somos pequenos perto disso tudo

    ResponderExcluir
  2. a maior ave de rapina do mundo é o condor dos andes

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar