segunda-feira, 2 de maio de 2011

Urina: o perfil social dos cachorros

Muitas pessoas sabem que os cachorros “marcam território” com urina. Foi o que concluiu uma nova pesquisa: ambos machos e fêmeas competem por status usando altura, ângulo de levantar a perna, localização e qualidade do seu xixi.



Estudos anteriores sobre cães haviam descoberto que fazer xixi em cima do xixi de outro cão era algo que apenas os machos faziam, e que a maioria fazia isso em resposta à urina feminina. Assim, a interpretação anterior era de que os cães machos faziam xixi para ocultar a urina feminina.


O novo estudo amplia essa compreensão. Na verdade, ambos os sexos “contramarcam” (urinam perto de outro xixi) ambos os sexos. A pesquisa também é a primeira a descobrir que “latir” (na verdade “zunir”, ou produzir um som agudo) perto de onde um outro cão urinou é feito mais por cães de alto status.


Os pesquisadores realizaram dois experimentos. Um envolveu a apresentação de urina de cães desconhecidos de várias raças a 48 cães com donos da raça labrador. Cada labrador foi guiado com uma coleira a um “traço de urina”. Ele poderia cheirar, latir ou não reagir ao xixi marcado.
No segundo experimento, os pesquisadores observaram as interações de cães em um parque, documentando 153 urinações e 199 investigações de urina (cheirá-las) de 87 cães machos e fêmeas de diferentes raças, castrados ou não.


Em ambos os experimentos, os pesquisadores também mediram a posição da cauda de cada cão, que estudos prévios haviam descoberto que era sinal de status; quanto mais alto o rabo de um cão é levantado, mais status ele tem.


A pesquisa descobriu que machos e fêmeas eram igualmente propensos a latir próximo ao xixi de um cão desconhecido. Cães com rabos altos/alto status, no entanto, eram muito mais ativos do que outros cães quando se tratava de cheirar a urina de outro cão, e contramarcá-la com seu próprio xixi.


Apesar de ambos os sexos contramarcarem, eles fazem um pouco diferente. Os homens são mais propensos a fazer xixi exatamente em cima da outra urina do que as fêmeas. Machos e fêmeas investigam urinas alheias, e os cães de mais status de ambos os sexos urinam e contramarcam. Alguns cães mais submissos, de baixo status, não contramarcam nenhuma urina ao visitar os parques para cães.


Os machos de alto status expostos a um lugar como um parque para cães são super ativos em marcar território. Eles não param após marcar o primeiro ou segundo ou terceiro xixi.


Segundo os pesquisadores, como os sinais químicos encontrados na urina do cão podem ser cheirados a partir de uma distância segura, pode ser que os cães sejam capazes de “resolver” relações por meio dessas marcas, antes de se encontrarem cara a cara. Por exemplo, a urina pode ajudá-los a decidir qual cão eles querem abordar.


O próximo passo da pesquisa é estudar outros aspectos da urina do cão, como de que forma a esterilização e a castração podem afetar a contramarcação como uma forma de comunicação.


Essa comunicação é importante, porque é possível que os cães sejam capazes de avaliar vários aspectos pessoais, de saúde, estresse, virilidade, dieta, apenas cheirando a urina de outro cão.
Ou seja, segundo os pesquisadores, a contramarcação é uma espécie de perfil do Orkut ou do Facebook da vida social do cão; uma forma de saber quem ele é, facilmente acessível a partir de uma distância segura. [MSN]


Como fazer um cachorro parar de marcar território
Não podemos nem imaginar como o mundo cheira para um cachorro. O faro dele é um instrumento fino e delicado, se comparado ao seu nariz. Então, faz sentido que façam a marcação territorial urinando nos lugares e objetos para mostrar quem manda. Essa é uma parte importante da comunicação canina. As mensagens químicas na urina do cachorro dizem aos outros cachorros quase tudo que precisam saber: onde o cachorro que marcou vive, quanto tempo faz que passou por ali e, no caso das fêmeas, se estão receptivas sexualmente. Um cão que fica nervoso quando está sozinho em casa pode marcar os móveis e paredes para reassegurar a si mesmo que está tudo bem. A marcação territorial também pode ser uma maneira de afirmar dominância: esse é o motivo pelo qual alguns cães erguem a perna em outros cachorros ou nas pessoas.

A marcação territorial é um comportamento normal, natural e instintivo nos cães. A idéia é fazer com que seu cão saiba que a marcação só pode ser feita em locais e horários específicos, nunca no seu tapete, no box do banheiro ou na sua colcha. Mais uma vez, a relação de dominância com o cão faz toda a diferença. Pratique o adestramento de obediência de maneira humana e positiva e sempre repasse os comandos. Isso não só clarifica a sua dominância como distrai um cão que fica entediado, sozinho e ansioso durante o dia. Faça-o trabalhar pela comida, pelos brinquedos, pelas brincadeiras e pelo carinho. Se quer alguma coisa, faça-o responder a um ou dois comandos antes e, só então, ganhar o que quer.


Sempre passe pelas portas antes dele e não o deixe pular em você ou subir nos móveis, especialmente na sua cama. Na sociedade canina, você só pula ou deita perto de animais de nível hierárquico igual ou subordinado. A castração, especialmente antes de um ano de idade, é outro bom preventivo. O cachorro continua protegendo a família e a casa, mas sem aquele desejo de reforçar seu território reprodutivo, ditado pelos hormônios.

A marcação por ansiedade de separação é outro problema. A melhor coisa a fazer aqui é acostumar seu cachorro gradativamente a ficar sozinho em casa. Comece com algo simples, como deixá-lo sozinho em um quarto por um ou dois minutos e depois retornar. Então, saia de casa, voltando após alguns minutos. Cada vez que praticar fique longe por um tempo um pouco maior. Quando o cachorro aprender que você vai voltar, vai se sentir mais confortável sozinho. Prendê-lo em uma caixa de transporte também pode dar uma sensação maior de segurança.

Para evitar que ele urine nos móveis, prenda um pedaço de papel alumínio na área onde ele gosta de urinar. Na próxima vez que ele tentar, o papel alumínio vai fazer um barulho e a urina pode espirrar nele de volta.

E por último, não confunda marcação territorial com um problema de falta de adestramento. Uma poça enorme de urina no meio da sala ou perto da porta não é uma forma de dominância, mas sim um sinal de que seu cachorro precisa sair quando você está fora de casa!

Quando chamar o veterinário
Como em qualquer problema de comportamento, leve seu cão para fazer uma consulta antes de qualquer correção. Se houver uma causa física para o problema, nenhum treinamento ou correção vai surtir efeito.

Os cães adoram puxar a guia, mas se fazem isso excessivamente é melhor livrá-los desse hábito. Vejamos como na próxima seção. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar