sábado, 16 de julho de 2011

Procura-se um amigo: Nabire, última rinoceronte-branco do norte da Europa está só

Rinoceronte-branco busca companheiro em zoológico na Europa
RIO - Nabire é a última rinoceronte-branco do norte de que se tem notícia na Europa. Diante da falta de companheiros, os administradores do zoológico onde ela mora, na República Tcheca, esperam que ela se encante por Natal, um rinoceronte-branco do sul 11 anos mais velho.


Na última sexta-feira, eles foram vistos trocando carícias, pegando sol e dormindo juntos.

- Eles são muito amigáveis. Não há sinal de antagonismos - derrete-se Pavel Moucha, zoólogo-chefe.

Até algumas semanas atrás, eles eram mantidos em jaulas separadas porque Nabire teve uma inflamação no tornozelo, que pioraria caso ambos tentassem acasalar.

Mesmo que eles formem de fato um casal, Nabire não poderá procriar por causa de "alterações patológicas em seus órgãos reprodutores", segundo Hruby.

Com os chifres de rinocerontes considerados uma fonte de cura para um leque de doenças, de resfriados e febres a pressão alta e impotência, caçadores dizimaram as populações de rinoceronte de diversas localidades, principalmente na África. Alguns teriam sobrevivido em florestas no Sudão, mas não se sabe ao certo quantos.

Outra rinoceronte do norte, Nesari, morreu aos 39 anos, enquanto dormia, no mês passado, reduzindo ainda mais a população dessa espécie já criticamente ameaçada.

- Nabire, é claro, está sentindo a falta dela - avalia Jiri Hruby, curador dos mamíferos do zoo, na cidade de Dvur Kralove, cerca de 120 quilômetros ao norte de Praga.

Em 2004, o zoológico de Dvur Kralove cedeu quatro rinocerontes a um centro de conservação da espécie no Quênia, onde especialistas esperam que os mamíferos reproduzam. Nabire e Nesari não embarcaram por causa de problemas de saúde.

Os rinocerontes-brancos são os maiores da família de rinocerontes, chegando a pesar 2,7 toneladas. Entre os mamíferos terrestres, só os elefantes são os maiores.

O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar