sábado, 26 de novembro de 2011

Quati resgata filhote atropelado em Campo Grande; veja imagens

Um morador de Campo Grande (MS) fotografou o momento em que um quati retirou do meio da rua um filhote da mesma espécie que havia sido atropelado.

Segundo a Polícia Militar Ambiental, o filhote não resistiu e morreu.

Ainda de acordo com a polícia, atropelamentos de animais silvestres --como capivaras, tamanduás e gambás-- são comuns nas proximidades do Parque dos Poderes, onde o fato ocorreu.


Marcelo Silva de Oliveira/Arquivo pessoal
Quati resgata filhote atropelado em Campo Grande

Segundo a Polícia Militar Ambiental, atropelamentos são comuns nas proximidades do Parque dos Poderes, onde o fato ocorreu

Segundo a Polícia Militar Ambiental, o filhote não resistiu aos ferimentos e morreu

folha.uol.com.br



O quati, também conhecido como coati (do tupi "nariz pontudo") é um mamífero da ordem Carnivora, família Procyonidae e gênero Nasua. O grupo está distribuído desde o Arizona ao norte da Argentina.
Mamífero aparentado do Guaxinim, possuindo entretanto um nariz mais comprido, e um corpo mais alongado. Com patas que lembram remotamente as dos ursos, muito úteis para escaladas em árvores. A coloração, em geral, é cinzento-amarelada, porém muito variável, havendo indivíduos quase pretos e outros bastante avermelhados, focinho e pés pretos, cauda com 55 cm, com sete a oito anéis pretos. Mede de corpo 70 cm. Vive em bandos de oito a 10, é praticamente onívoro, e se adapta bem ao cativeiro. São animais diurnos.
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Procyonidae
Género: Nasua

Ordem: Carnivora

Família: Procyonidae

Nome popular: Quati

Nome em inglês: Coatis, Coatimundis.

Nome científico: Nasua nasua

Distribuição geográfica: Colômbia, norte da Argentina e Uruguai.

Habitat: Florestas

Hábitos alimentares: Frugívoros, eventualmente carnívoros.

Reprodução: gestação 10 a 11 semanas, com 02 a 07 filhotes.

Período de vida: cerca de 15 anos

Os quatis pertencem a Ordem Carnivora, representado pela Família Procyonidae, que também inclui o guaxinim e o jupará. Vivem em áreas florestadas, onde passam muito tempo sobre as árvores, geralmente formando grupos de 04 a 20 indivíduos que percorrem as matas a procura de alimento, que consiste em pequenas aves, ovos, insetos, frutas, vermes ou larvas presentes no solo. Mas um macho com mais de 02 anos que não faça parte de um grupo pode tornar-se solitário, exceto no período reprodutivo

Apesar de possuírem hábito alimentar predominantemente frugívoro, há épocas do ano em que há escassez de frutas, e então eles aumentam a quantidade de alimento animal de suas dietas. Percorrem em torno de 1,5 a 2 km diariamente a procura de alimento. São animais diurnos, apesar de freqüentemente machos adultos praticarem atividades noturnas. O peso varia entre 3,5 a 6 kg, sendo os machos normalmente maiores que as fêmeas.

A época reprodutiva corresponde com o período máximo de abundância de frutas. Um macho solitário pode ser aceito em um grupo de fêmeas, mas com total subordinação a elas. As fêmeas se separam do grupo para construírem seus ninhos em árvores.

O período de gestação é de 10 a 11 semanas, nascendo de 02 a 07 filhotes que pesam cerca de 100 g e abrem os olhos depois de onze dias. Com 05 semanas os filhotes saem dos ninhos, e com 15 meses tornam-se adultos. Atingem a maturidade sexual com 02 anos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar