sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Pelodiscus sinensis. Tartaruga que urina pela boca surpreende


Tartaruga que urina pela boca surpreende cientistas

BBC

Tartarugas chinesas de casco mole descartam urina através de suas bocas, segundo cientistas de Cingapura. Os biólogos ficaram inicialmente intrigados com o comportamento das tartarugas porque, apesar de usar seus pulmões para respirar, os animais, muitas vezes, mergulhavam a cabeça na água por longos períodos.

Ao observar o comportamento do animal e testar a água, acabaram descobrindo que o réptil havia excretado pela boca uma quantidade de urina muito superior à excretada pela cloaca. E, no longo período embaixo d'água, enxaguavam a boca.

A descoberta se soma a pesquisas anteriores, que sugeriam que as tartarugas têm tecidos da boca altamente especializados. O professor Ip Yeung Kwon e seus colegas da Universidade Nacional de Cingapura publicaram o estudo no Journal of Experimental Biology.

A espécie, Pelodiscus Sinensis, é encontrada em águas pantanosas e salobras, e é nativa de grande parte da Ásia Oriental. Suas bocas incomuns foram discutidas pela primeira vez por cientistas mais de um século atrás, quando pesquisadores sugeriram que os tecidos aveludados funcionariam de forma semelhante a brânquias nos peixes.

Os biólogos teorizaram que o tecido da boca poderia ter o papel de filtrar oxigênio e sal, mas, de acordo com Kwon, este processo não estaria "bem definido". No seu conjunto, as tartarugas respiram da mesma maneira que a maioria dos outros membros da família quelônio, que inclui jabutis, tartarugas e cágados.

Mergulhos de até 100 minutos
As tartarugas respiram puxando ar para os pulmões, mas observações da espécie mostraram que estes animais ocasionalmente submergem a cabeça na água por até 100 minutos.

Kwon e seus colegas trouxeram uma tartaruga para o laboratório para estudar como elas não se afogavam e investigar o que mais poderia estar acontecendo.

O movimento rítmico da garganta da tartaruga, sem falar do fato de que permaneciam vivas, sinalizou que o animal estava de fato de respirando durante estes períodos submersos.

Os cientistas também analisaram como a química da água mudou e encontraram aumento dos níveis de ureia. A maioria dos vertebrados expulsa ureia através da urina - filtrada nos rins. Em tartarugas, a ureia é descartada pela cloaca, o único orifício usado para descarte de resíduos e reprodução.

"Ao longo do período de estudo, a taxa de excreção de ureia através da boca foi significativamente maior, de 15 a 49 vezes, do que através da cloaca", disse o professor Kwon. "Estes resultados indicam, pela primeira vez, que movimentos da boca e da garganta estavam envolvidos na excreção de ureia."

Kwon disse à BBC que a capacidade de descartar resíduos através da boca é exclusiva desta espécie. Mas ele sugeriu que a capacidade poderia ser evolutivamente ligada à forma como alguns mamíferos, como morcegos, bovinos e caprinos, "reciclam" nitrogênio, excretando ureia através de sua saliva. "Ficamos muito surpresos com nossos resultados, porque é geralmente aceito que o rim é responsável pela excreção de ureia em vertebrados - exceto peixes", disse ele.

Tartarugas chinesas de casca mole são uma iguaria em muitas partes da Ásia e são criadas extensivamente. Uma pesquisa recente em 684 fazendas na China sugeriu que 91 milhões de tartarugas são vendidas a cada ano.

No entanto, as populações selvagens são classificadas como "vulneráveis" pela União Internacional para a Conservação da Natureza.


Taxonomia: Pertence ao gênero Pelodiscus. Este gênero é dividido em quatro espécies, sendo a mais conhecida a sinensis Pelodiscus. Possui duas subespécies. Até recentemente, era incluído no gênero Trionyx.

Espécies semelhantes: Tem hábitos muito semelhantes aos do resto das tartarugas da subfamília Trionychinae .

Morfologia: A mais peculiar destas tartarugas é que eles têm um casco duro, como é comum em tartarugas. Em vez disso, tem uma pele mais dura do que a dos pés e pescoço, que perde a sua função principal: a proteção. Em vez de essa proteção estas tartarugas têm mandíbulas fortes e se movem muito rapidamente na água.

Esta espécie tem a concha de azeite ou cinza, e pode ter alguns pontos de jovens negros. Ela tem um corpo muito plano, o que serve para nadar melhor e com menos esforço. As bordas do escudo são ligeiramente curvada para cima, o que lhes permite captar uma grande quantidade de luz solar sem sair da água. Sua cabeça e as pernas também são coloridos com pontos brancos e listras. As pernas são muito webbed. Eles têm um nariz em forma de chifre característica, a qual juntamente com a sua garganta longa permite-lhes respirar, sem ter que deslocar ao fundo do aquário.

Estes animais possuem um mecanismo único no reino Animal de excreção de ureia. Pesquisadores da Universidade Nacional de Singapura notaram que as tartarugas mergulhavam a cabeça em poças de água, quando os pântanos onde normalmente vivem secavam, levando-os a investigar mais a fundo. Resultados indicaram que a ureia excretada pelos rins apenas constituía 6% do total da ureia libertada para a água. Retirando-as da água e deixando apenas uma poça onde pudessem mergulhar a cabeça, notaram que o aumento de ureia na água era 50 vezes superior ao excretado pela cloaca. Ou seja, as tartarugas excretam ureia pela boca. Os investigadores descobriram também que uma classe especial de proteínas que permitem o transporte de ureia é expressa na boca destes animais. Presume-se que este seja um mecanismo que favorece a permanência destes répteis em águas salobras, uma vez que o método mais usual de excretar a ureia pelos rins exige o consumo de muita água, que em águas salobras contém muito sal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar