segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Animais que voam, mas não são aves


BICHOS QUE VOAM, MAS NÃO SÃO PÁSSAROS

Mesmo sem ter asas, alguns mamíferos, répteis e anfíbios conseguem voar. Eles possuem membros especiais que funcionam como pára-quedas ou planadores. Veja alguns:

Lêmure-voador – Possui uma membrana que se estende das costas às patas. Com ela, consegue deslocar-se até 90 m pelo ar.

Mamífero dermóptero, que ocorre na Tailândia, Indochina, península Malaia, Sumatra, Java, Bornéu e ilhas próximas. Caracteriza-se pela presença do patágio (membrana que liga os quatro membros) que auxilia nos grandes saltos, quase vôos, de um galho para outro das árvores.

Lagarto Voador – Possui costelas longas, que se estendem para abrir uma membrana de cada lado das costas. Elas funcionam como asas planadoras.

O Lagarto voador ou Draco volans (nome científico) pode chegar até 20 centímetros.Vive até 10 anos.Quando um Lagarto voador está com problemas, ele simplesmente salta no ar, armando as incríveis asas, e plana até um lugar mais seguro, no tronco de outra árvore da floresta.Enquanto vasculha a floresta em busca de alimento, o Lagarto voador usa a habilidade de planar para se locomover de árvore em árvore.As asas são mais eficientes do que parecem, permitindo ao lagarto até mesmo mergulhar no ar para atacar com precisão milimétrica, antes de fazer um pouso perfeito.Alimenta-se de insetos.

Rã Voadora – Possui membranas entre os dedos, que funcionam como pára-quedas, suavizando a descida. A rã-voadora possui um corpo esguio e dedos bem compridos que a permitem plainar. Quando salta de árvore usam longos membros para ganhar impulso e, depois, mantém-se no ar graças às suas membranas interdigitais, as quais servem como pára-quedas para alcançar outras árvores.

 Possuem hábitos arbóreos, não vivem em ambientes com temperaturas extremas. Elas são encontradas em florestas tropicais do Sudoeste Asiático. Conseguem sobreviver por se camuflarem bem a tudo ao seu redor. Passam maior parte de seu tempo nas árvores e se alimentam a noite, são carnívoras e sua dieta consiste de insetos que habitam a floresta. Existem diferentes espécies de rãs voadoras.

Esquilo Voador – Possui uma membrana que se estende entre as patas. Sua espessa cauda funciona como leme, para direcionar o vôo. Chega a planar 100 m ou mais.

 Na verdade, o esquilo-voador não voa. Ele simplesmente pula da copa das árvores, esticando as pernas e, desse modo, abrindo as membranas que tem junto de cada lado do corpo, que se chamam patágios. O patágio funciona como pára-quedas. O esquilo-voador não cai no chão de qualquer jeito. Ele usa a cauda como leme. Por isso, controla perfeitamente a direção do seu vôo até o ponto escolhido para a aterrissagem.

  A cauda também fica esticada e é usada como freio na hora da aterrissagem. O esquilo-voador gigante da Ásia é famoso por executar vôos planados de até 50 m.  Há muitas espécies de esquilos-voadores, diferentes em tamanho e cor.

Eles são encontrados na Europa, nas Américas (com exceção das zonas temperadas) e em toda a Ásia. São animais noturnos e se alimentam de brotos, nozes, frutos e insetos. De dia ou durante o mau tempo, eles ficam abrigados em ninhos bem protegidos. O esquilo-voador de Java constrói seu ninho em uma casca de coco seca e oca. Nascem de 2 a 4 filhotes em cada cria. Os esquilos-voadores vivem de 11 a 13 anos. Seus principais inimigos são a marta-de-pinheiro e as aves de rapina.



Um comentário:

Sinta-se a vontade para comentar