quinta-feira, 28 de março de 2013

Tubarão-touro de duas cabeças, dois corações, dois estômagos e apenas uma cauda

Cientistas confirmam primeiro tubarão-touro de duas cabeças
Animal possui dois corações, dois estômagos e apenas uma cauda.
Bicho foi encontrado por pescadores no Golfo do México.

Cientistas da Universidade de Michigan (MSU), nos Estados Unidos, confirmaram uma descoberta inédita na biologia. Um tubarão-touro (conhecido também como tubarão-cabeça-chata) de duas cabeças é o primeiro com essas características na espécie. O animal foi encontrado no Golfo do México em 2011, mas a confirmação dos especialistas só veio agora, ao ser publicada no periódico Journal of Fish Biology.
Pescadores encontraram animal com cabeças e órgãos independentes, mas com apenas uma cauda (Foto: Shark Defense/Florida Keys Community College)

É de fato o único caso registrado de dicephalia - o termo científico para um feto com duas cabeças - em um tubarão-touro. O tubarão foi descoberto acidentalmente por um pescador americano trabalhando no Golfo do México (na região de Florida Keys, um arquipélago entre o Estado americano da Flórida e Cuba), que pegou um tubarão-touro adulto em 7 de abril de 2011, em seguida, extraiu o feto de duas cabeças após a abertura do útero. O tubarão morreu pouco depois de ser removido - especialistas dizem que tinha poucas chances de sobreviver se tivesse nascido naturalmente.


Michael Wagner, cientista da MSU e co-autor do estudo recém-publicado, afirmou em sua análise que o espécime havia uma deformidade conhecida como bifurcação axial. Ela fez com o que o tubarão começasse a se separar em dois organismos, sem chegar a completar o processo. "A metade do processo de formação de gêmeos deteve a divisão do embrião", afirma Wagner.

"É muito raro, mas muito mais raramente observada", disse o Dr. Michael Wagner, pesquisador da Universidade de Michigan e co-autor do estudo. "Não há nenhuma maneira de saber qual foi a causa."
A condição é conhecida como "bifurcação axial", de acordo com o Dr. Wagner. O embrião começa a se dividir em dois organismos diferentes, mas o faz de forma incompleta. Isso pode acontecer com muitas espécies, incluindo humanos, de acordo com especialistas.

O cientista acredita que o animal tinha "pouca ou nenhuma possibilidade" de sobreviver por muito tempo. Segundo o estudo, elaborado em colaboração com a escola comunitária da região de Florida Keys, os predadores precisam realizar movimentos muito rápidos para caçar outros peixes e sobreviver, algo que este espécime nunca poderia ter feito.

"É sem dúvida um fenômeno interessante e raro. É bom que tenhamos documentado esta parte da história natural do mundo", afirmou Wagner. Por outro lado, "deveríamos ter encontrado o animal antes para tirarmos maiores conclusões". Segundo o cientista,não há dados para comprovar o que causou tal anomalia.

A dificuldade em encontrar casos raros como este se deve, em grande parte, ao fato de que criaturas com anomalias tendem a morrer logo após seu nascimento. "Podemos ver muitos casos de animais com duas cabeças em lagartos e serpentes", disse Wagner. "Isso porque esses organismos são criados em cativeiro, e a probabilidades de os criadores observarem essas anomalias é muito maior."

Wagner e sua equipe documentaram o descobrimento com imagens de ressonância magnética, comprovando a existência das duas cabeças, assim como de dois corações e de dois estômagos. Já a parte central do corpo do animal se mostrou unificada, já que possuía uma única cauda. Confira:
Raio-X do tubarão-touro mostra as duas cabeças e as espinhas que se convergem em apenas uma, seguindo até a cauda (Foto: EFE/Michael Wagner/Michigan State University)

O tubarão-touro, Carcharhinus leucas, também conhecido como tubarão-cabeça-chata, tubarão-de-cabeça-chata, tubarão-touro ou tubarão-do-zambeze ou extra-oficialmente Zambi na África e na Nicarágua tubarão na Nicarágua , é um tubarão comumente encontrados em todo o mundo em águas quentes e rasas ao longo da costa e nos rios. O tubarão touro é conhecida por sua natureza agressiva, predileção por água rasa quente, e presença em água salobra e de água doce, incluindo sistemas de estuários e rios.

O tubarão touro pode prosperar tanto em água salgada e água doce e rios pode viajar muito para cima. Eles têm sido conhecidos para viajar tão longe se como Kentucky no rio Ohio , embora tenha havido alguns ataques registrados. Eles provavelmente são responsáveis ​​pela maioria de perto da costa ataques de tubarão , incluindo muitos ataques atribuídos a outras espécies. [ 2 ] tubarões cabeça-chata não são realmente verdadeiros tubarões de água doce, apesar de sua capacidade de sobreviver em habitats de água doce (ao contrário dos tubarões rio do gênero Glyphis ).

O tubarão touro nome vem do formato atarracado do tubarão, focinho, largo e achatado, e comportamento agressivo, imprevisível.

é um tubarão da ordem Carcharhiniformes, que pode viver tanto em água salgada como doce. Atinge de 2,1 a 3,5 metros de comprimento. Sua coloração do dorso vai desde marrom a cinza escuro, com o ventre branco. Seus dentes possuem forma triangular, sendo que os da mandíbula inferior se parecem com pregos, que ajudam a segurar a presa, enquanto os dentes superiores, serrilhados, rasgam a carne, e por isso causam grandes estragos em pessoas quando atacadas pelo tubarão, que tem o hábito de chacoalhar a cabeça (como outras espécies) o que aumenta o ferimento.

Alimenta-se de peixes, incluindo outros tubarões (até da mesma espécie), arraias e pássaros. São encontrados perto de costas das praias, mas podem viver por um tempo em rios e lagos. Já foi encontrado três quilômetros acima no rio Mississipi (EUA), e é fato conhecido que são capazes de subir o rio Amazonas até Manaus. Também são a principal espécie a atacar humanos em áreas fluviais, graças a essa capacidade de viver em baixa salinidade (um de seus nomes, "zambezi shark", deriva do rio Zambeze, na África). Além disso, possuem visão muito ruim, dependendo dos outros sentidos para atacar, o que faz esse tubarão extremamente perigoso em águas de baixa visibilidade. Apesar da má fama, há um lugar em que esse tubarão não apresenta tanto perigo, Santa Lúcia, em Cuba, onde é possível mergulhar com eles, mesmo assim com cuidado.

Vivem numa profundidade de 30 metros, ou até menos de um metro, e são encontrados no Brasil, principalmente em Recife, onde foram responsáveis por diversos ataques na praia de Boa Viagem, juntamente com o tubarão-tigre. Os tubarões-cabeça-chata são também o ser vivo com maior índice de testoterona do planeta, e até as fêmeas apresentam-no em nível elevado. São muito territorialistas e constantemente atacam outros seres marinhos, mesmo maiores que ele.

Os tubarões-touro são vivíparos e dão à luz cerca de 13 filhotes, depois de uma gestação que dura um ano. Os filhotes nascem com 70 cm de comprimento e são encontrados normalmente em baías, bocas de rios e mangues. Possuem expectativa de vida de 14 anos.

Referências:
http://pt.wikipedia.org
http://en.wikipedia.org/wiki/Bull_shark
http://revistaepoca.globo.com
http://g1.globo.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar