segunda-feira, 8 de julho de 2013

Jacaré de 3,5 metros e 170 kg é morto por multidão quando iria comer um cão

Jacaré aparece em área urbana no interior do Amazonas e acaba morto
Réptil estava prestes a devorar um cachorro, segundo testemunhas.
Tenente declarou que recomendação é avisar polícia local.

Um jacaré-açu foi capturado e morto próximo ao centro comercial do município de Barreirinha, distante 331km de Manaus. O caso aconteceu na noite de sábado (6) e, segundo testemunhas, o réptil estava prestes a devorar um cachorro próximo a um banheiro de uma casa.

Com 3,5 metros de comprimento e peso de 170kg, o animal foi espancado até a morte por parte dos moradores da cidade. Os moradores da região informaram que este é o segundo jacaré capturado e morto no local nos últimos dois meses.

Procurado pelo G1 na tarde desta segunda-feira (8), o tenente Abreu, do Batalhão Ambiental do Amazonas, declarou que o caso ainda não havia sido informado ao órgão. Segundo ele, o aparecimento de jacarés na zona urbana é comum durante o determinadas épocas do ano na região Amazônica. "Estamos no meio da floresta e acabamos sendo os invasores da área. Isso acontece bastante durante o período das cheias, quando a água os trazem para os centros populacionais", afirma.
Jacaré-açu foi capturado e morto próximo a centro comercial do município de Barreirinha (Foto: José de Oliveira/TV Amazonas)

Sobre o aparecimento de répteis em áreas urbanas, o tenente declarou que a recomendação é sempre avisar a polícia local. "Além de evitar a exposição ao perigo, a pessoa pode ajudar o animal a sobreviver, já que as autoridades da região poderão entrar em contato com o Batalhão Ambiental para fazer o resgate" explicou. Porém, Abreu afirma que os pedidos ao órgão para ajudar animais são poucos. Quem for flagrado agredindo animais, pode ser detido por crimes ambientais, correndo o risco de ser preso.

Com 3,5 metros de comprimento e peso de 170kg, o animal foi espancado até a morte por parte dos moradores da cidade (Foto: José de Oliveira/TV Amazonas)

G1


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar