quarta-feira, 28 de agosto de 2013

O besouro rola-bosta tem uma vida difícil e um nome inglório, mas uma habilidade invejável: ler os sinais da Via Láctea.

O besouro e as estrelas
Ele tem uma vida difícil e um nome inglório, mas uma habilidade invejável: ler os sinais da Via Láctea.

A rotina dos Scarabaeus satyrus não é glamurosa. Consiste em encontrar fezes, juntá-las em enormes bolas (com o dobro do tamanho dele) e rolar essas bolas até um lugar seguro. As fezes são a coisa mais importante na vida do S. satyrus - uma das espécies popularmente conhecidas como besouro rola-bosta (essa aí da foto é Scarabaeus laticollis). Além de servir como alimento, elas são fundamentais para atrair uma fêmea (que coloca seus ovos na bola). Isso significa que o bichinho tem de rolar a bolota fazendo o caminho mais rápido, no menor tempo possível, ou outro besouro poderá roubá-la. Só que os rola-bosta têm olhos primitivos, que enxergam mal. "Eu observo besouros desde 1995. Nunca entendi como eles mantinham a direção reta mesmo no escuro", conta o biólogo Eric Warrant, da Universidade de Lund, na Suécia.


Ele decidiu fazer uma experiência. Criou um campo de areia no qual colocou bolas de fezes. Durante várias noites, cronometrou o tempo que alguns besouros levavam para rolar as bolas do centro até o canto. Algumas vezes, cobria os olhos do inseto com pedaços de papelão. Quando os besouros estavam com os olhos tapados, ficavam muito mais lentos. Normal. Mas algo surpreendente acontecia quando a noite estava nublada e não era possível ver o céu direito. Mesmo de olhos abertos, os besouros ficavam lentos. Ou seja: os bichinhos estavam se guiando por alguma coisa no céu. Mas o quê?

Para descobrir, os pesquisadores levaram os insetos até um planetário. Com a luz apagada, ou com apenas algumas estrelas projetadas no teto, os besouros ficavam lentos. Mas, se uma representação completa da Via Láctea fosse exibida, eles se saíam muito bem. "Isso comprova que os besouros não se orientam pela luz da Lua ou pela luz de estrelas específicas. Eles têm capacidade de detectar o conjunto que forma a Via Láctea, e é isso que os guia", explica Warrant. ( Eduardo Cosomano, SUPER)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sinta-se a vontade para comentar