terça-feira, 26 de janeiro de 2010

'Peixe mais feio do mundo' corre risco de extinção


O melancólico ‘Psychrolutes marcidus’ habita águas profundas.
Pesca de arrasto na Austrália e Nova Zelândia está dizimando espécie.

Foto: reprodução

Sem nenhum motivo para sorrir: 'Psychrolutes marcidus' tem corpo gelatinoso e não é comestível, mas está sendo capturado junto com camarões e lagostas nas águas profundas entre Austrália e Nova Zelândia (Foto: reprodução)

O peixe da espécie Psychrolutes marcidus, conhecido por blobfish e por uma cara que dá pena, está em risco de extinção. A informação está no site do jornal britânico "Daily Mail". O hábitat da criatura é a costa sudeste da Austrália, em águas profundas. A risco de extinção vem do excesso de pesca por traineiras, barcos de pesca que fazem uso de redes de arrastão para amealhar suas vítimas.

O inchado habitante das profundezas, diz reportagem do site MailOnline, pode chegar a cerca de 30,5 centímetros e vive a 800 metros de profundidade, então é visto muito raramente (felizmente). Mas está sendo levado pelas redes com as espécies que são preciosas à atividade pesqueira. Ele mesmo não é para se comer, logo não interessa, mas deu o azar de viver nas mesmas paragens de outros seres oceânicos mais apetitosos, entre os quais camarões e lagostas.

Callum Roberts, especialista nas profundezas do mar da Universidade de York, explica que o P. marcidus tem todas as razões do mundo para ser um bicho taciturno, com um jeitão miserável. “São muito vulneráveis a ser arrastados pelas redes e, pelo que sabemos, seu hábitat é restrito a essas áreas”, explica Roberts, autor do livro “The Unnatural History of the Sea” (A História não natural do Mar).

Tecidos do blobfish são gelatinosos, com densidade um pouco inferior à da água

“As frotas de traineiras de águas profundas da Austrália e da Nova Zelândia são umas das mais ativas do mundo, então se você é um peixe desses, ali não é um bom lugar para viver.” A pescaria com redes de arrastão é uma das formas mais predatórias da atividade.


Os tecidos do blobfish são gelatinosos, com densidade um pouco inferior à da água, o que permite que flutue. Quase não tem músculos, mas ainda assim se vira muito bem: vai engolindo detritos que aparecem na frente dele.


Fonte: G1

3 comentários:

  1. Put's esse bichoo é horrivel , queriaa muitoo veloo mais isso seria quase imposivel vamos diser , euu jamais teria a coragem de relar nesse tróoço nojentooo , morre de medoo , euu tenho medooo até de mezouro imagine um bichoo deese muito enteresante nojento e feioooo mais gosteii de ver nuncaa tinha visto coisa parecida aaaaah espero que não sege montegem pq a maioria das veses é montagem ¬¬' adoreiii ver esse negocioo *---------------*

    ResponderExcluir
  2. Put's esse bichoo é horrivel , queriaa muitoo veloo mais isso seria quase imposivel vamos diser , euu jamais teria a coragem de relar nesse tróoço nojentooo , morre de medoo , euu tenho medooo até de mezouro imagine um bichoo deese muito enteresante nojento e feioooo mais gosteii de ver nuncaa tinha visto coisa parecida aaaaah espero que não sege montegem pq a maioria das veses é montagem ¬¬' adoreiii ver esse negocioo *---------------*

    ResponderExcluir
  3. esse bicho è horrivel queria muito poder velo de verdade adorei conhece **************

    ResponderExcluir

Sinta-se a vontade para comentar