segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O misterioso caso dos cães suicidas na Ponte Overtoun

Ponte faz com que os cães saltem para a morte por razões misteriosas

Em uma pequena vila no oeste da Escócia chamada Milton, em Dumbarton, há uma misteriosa ponte em estilo vitoriano que atraiu a atenção dos cientistas e dos parapsicólogos. Desde a década de 60, dezenas de cães são seduzidos por uma inexplicável e voluntariosa atitude suicida que os leva a saltar de cima da ponte. Depois de anos de teorias atribuídas à ignorância, os cientistas rastrearam a causa destes misteriosos saltos.

Em 1859, um burguês chamado James White, comprou alguns terrenos na periferia da cidade para construir uma mansão de retiro espiritual. Rico e influente contratou um dos melhores arquitetos de seu tempo para conceber o que seria a melhor vila da cidade. Para acessar o local teria que cruzar um pequeno riacho local, portanto, o projeto da ponte foi feito de acordo com a mansão para antecipar a sua elegância vitoriana, assim nasceu a Overtoun Bridge.

A construção da ponte é muito sóbria, ladeado por três torres no estilo vitoriano clássico e com um largo parapeito de pedras importadas com mais de um metro de altura que impede os animais de ver o rio e também anulam a sua percepção da altura.


Casa Overtoun 

Uma psíquica escocesa, Maria Armour, fez visitas a ponte para ver se conseguia sentir  alguma coisa que pudesse afetar os cães. "Eu acho que alguns animais são hipersensíveis ao espírito do mundo e às pessoas em suas vidas terrenas. Enquanto eu caminhava na Ponte Overtoun, senti-me pura, calma e serena. Meu próprio cão atravessou completamente feliz, embora ele não andasse em torno do lado direito. Eu certamente não sentia a energia negativas em todos ".

Os cães não devem estar a detectando qualquer coisa sobrenatural na ponte, mas a idéia de que os cães têm algum tipo de sexto sentido não é tão estranho quanto pode parecer.

O Biólogo, Dr. Rupert Sheldrake, fez uma longa investigação que sugere que os cães possuem habilidades além da compreensão científica atual. Sua experiência mais famosa foi documentada por uma equipe de TV austríaca.

No experimento, uma câmera seguiu o cão, em casa, enquanto uma outra câmara seguiu o proprietário. As câmeras foram sincronizadas, para os códigos de tempo de ambos eram os mesmos. O proprietário foi orientado a voltar para casa, em um momento escolhido aleatoriamente,  sem aviso prévio de quando isso seria. Ele iria viajar para casa de táxi, para evitar qualquer som de carro familiar. Quando lhe foi dito para sair, o cão, que estava deitado em silêncio, imediatamente se levantou e foi se sentar perto da janela, onde permaneceu durante os quinze minutos que levou para o seu amado dono chegar em casa.


Parece ser uma resposta telepática. Pode-se dizer que a telepatia é uma espécie de sexto sentido.

Os cães são capazes de detectar as emoções de seus donos e o desenvolvimento de suas próprias neuroses. 

Eles poderiam estar respondendo a algum tipo de impulso depressivo humano na ponte que lhes causa o suicídio. Embora os cães podem sofrer de depressão , onde os cérebros humanos e caninos diferem é ter uma percepção do futuro. Os cães não têm qualquer consciência tal.

Portanto, se os cães não  cometeram o suicídio, o que poderia explicar seu comportamento estranho na ponte?

Os cães podem ouvir uma grande variedade de sons que são inaudíveis aos seres humanos. Assim, uma equipe de uma empresa de acústica de Glasgow configuraram equipamentos sofisticados para fazer a varredura de todos os sons estranhos. Eles não detectam nada de incomum.


A origem do primeiro suicídio canino foi no início dos anos 60, quando várias testemunhas relataram sobre a súbita e misteriosa reação de alguns cães quando chegavam no centro da ponte. Sem qualquer provocação ou aparente motivo, os cães corriam e saltavam direto por cima do parapeito e se estatelavam nas pedras ao lado do pequeno riacho.

O número de caninos kamikazes -mortos- oscila entre 80 e 100 exemplares nos últimos 50 anos, com períodos críticos de mais de cinco cães por trimestre e centenas de saltos com um final feliz. Alguns dos cães subiam ao parapeito antes de saltar no vazio, embriagado com o mistério, e para espanto de seus proprietários. Mas por que pulavam?

Várias teorias alimentaram o mistério para engordar a lenda do suicídio. Forças sobrenaturais e estranho magnetismo ou campos de energia que emanavam das pedras importadas confundiam o mecanismo de hipersensibilidade e orientação dos cães, forçando-os a resolver o calvário extra sensorial.

A sociedade Escocesa para prevenção da crueldade contra os animais, enviou veterinários e vários cientistas para investigar o caso. Eles concluíram que o isolamento visual produzido pelos altos muros de pedra da ponte deviam promover e colocar em alerta cães com sentidos -audição e olfato- mais desenvolvidos. Depois de analisar e descartar a origem dos sons de alta freqüência dos postes de luz nas proximidades, concentraram seus estudos sobre o cheiro dos animais.

Dr. Sands, gerente de pesquisa, descobriu que nem todas as raças de cães sofrem do chamado suicida. A morte dos cães ocorreram em cada estação, mas, principalmente, em dias claros, uma raridade neste cinza  parte molhada da Escócia. Todos os cães pularam do mesmo lado da ponte. Somente os caçadores de grande focinho: Labrador, Collie, Golden Retriever saltavam para a morte. Seria a causa um cheiro desconcertante de uma planta? Água podre? Não. Tinha de ser um animal.


Visons são animais muito territoriais
Depois de muita pesquisa descobriu que os alegados suicídios começaram durante os mesmos anos em que iniciou a invasão de visons americanos na região. O vison tem uma glândula anal que segrega uma substância extremamente odorosa, usada para marcar seu território, que deixa os cães loucos. A área da ponte é um habitat natural do animal e o pequeno riacho não é muito caudaloso tornando o conteúdo ainda mais concentrado a ponto de atrair de forma mais profunda e repentina os cães que cruzam a ponte.



Por quê na Ponte Overtoun e não qualquer outra ponte?
Os vãos da Ponte Overtoun  um vale profundo visto somente pelo lado direito. O parapeito da ponte tem dezoito polegadas de espessura e há uma queda de cinquenta metros do leito rochoso da Overtoun Burn.

Para entender o que pode ser exclusivo sobre essa ponte, é necessário visualizar a estrutura do ponto de vista do cão. A partir de uma posição sobre a ponte, tudo que o cão vai ver são as paredes de pedra e se torna-se animado com o cheiro do vison (marta), é a natural curiosidade os impelem a investigar.

A visão pelo olho do cão
O sentido olfativo do cão diz-lhe que o cheiro é por cima do muro, então ele se torna-se mais animado, ele vai pular o muro para dar com a caça, indiferente ao fato de que há uma queda de cinqüenta metros do outro lado.

3 comentários:

Sinta-se a vontade para comentar